Receita clássica de pão de ló!

Pão de ló – Nome que os portugueses deram à esse tipo de massa de bolo, que é delicada e frágil como um tipo de tecido que foi popular em Portugal no século XVI, o “ló”. Nossos colonizadores amam essa massa, muitas cidades portuguesas são famosas pelas suas diferentes versões de pão de ló. Dizem que a inspiração para os portugueses criarem a receita veio após visitarem terras japonesas no século XVI e conhecerem o kasutera – um bolo japonês com a mesma estrutura do pão de ló, só que levava xarope de milho. Também há registros que dedicam a criação do pão de ló ao italiano Giobatta Carbona, que criou um bolo comemorativo encomendado por um marquês italiano para o rei da Espanha (Fernando IV), batizando o bolo leve e aerado de Pan di Spagna. Enfim, como muitas receitas, há muitas trocas, influências e encontros culturais que a permeiam, mas o que a gente tem certeza é que essa mágica da natureza, tão simples e com apenas 3 ingredientes, resulta numa massa incrível e muito versátil, ótima para muitos tipos de bolo, perfeita para Naked Cake. Você pode fazer ela aromatizada e servir purinha, num café da tarde fofo, que nem a massa.

Ingredientes (para uma fôrma redonda de cerca de 25cm de diâmetro):

  • 5 ovos
  • 170g de farinha de trigo
  • 150g de açúcar

Modo de preparo:

Pré aqueça o forno à 160 graus. Peneire a farinha de trigo 3 vezes e reserve. Na batedeira, bata os ovos com o açúcar até a mistura ficar super branca e aerada. Feito isso, acrescente a farinha aos poucos, misturando com uma espátula ou fouet, delicadamente (nem pensar em bater na batedeira nessa parte). A delicadeza para misturar a farinha é muito importante para a massa não perder a qualidade aerada. Misture apenas até incorporar tudo, não mexa demais. Unte uma fôrma de 25cm de diâmetro (com manteiga e farinha), despeje a massa e leve para assar no forno pré-aquecido por 30 minutos, ou até espetar um garfo ou palito no centro e ele sair seco e limpo. Prontinho. Espere esfriar uns 15 minutos pelo menos para desenformar.

Sem fermento nem nada, o bolo cresce o suficiente, fica fofo, lindo, apaixonante, um amor real. Crie bolos incríveis com essa massa super versátil!

Dicas:

  • Essa é um tipo de massa seca, que não tem gordura, então para um bolo ela precisa sempre ser umedecida com uma calda maravilhosa.
  • Você pode aromatizar a massa acrescentando delicadamente raspas de algum cítrico (limão, laranja, etc) na massa no momento anterior ao que acrescenta a farinha de trigo. Fica ótimo também!

 

Anúncios

Conhecendo o ingrediente: Funghi Secchi

Funghi Secchi Chileno – Reunião de espécies chilenas de cogumelos desidratados, como Coprinus, Tremella fuciformes e Enoki. Funghi é o plural de cogumelo em italiano, e Funghi secchi é o nome que se dá a cogumelos desidratados.

No hemisfério norte, principalmente na Itália, o funghi secchi mais famoso e usado é o Funghi Porcini, um cogumelo delicado e perecível que é comumente desidratado para garantir maior durabilidade. Aqui no Brasil o funghi secchi mais comum de se achar é o chileno – consiste em um “mix” de cogumelos comestíveis da região sul do Chile. O Funghi secchi chileno tem mais intensidade e força de sabor que o funghi porcini italiano, e também possui coloração mais escura.

O Funghi Secchi é incrível para fazer risotos e molhos, também gosto de usá-los no meu strogonoff. Tem uma durabilidade boa, bem maior que a dos cogumelos frescos, por isso dá para comprar em uma quantidade maior e ter em casa para os dias em que a criatividade aflorar.

Uma experiência emocional com o ingrediente: De sabores intensos, eles nos convidam à um encontro inescapável com a essência do ingrediente, com sua marca e alma. Ele invade o paladar gradualmente até atingir uma sensação plena de sua composição, como a apresentação de alguma sinfonia que singelamente nos chama a atenção até nos estasiar por completo.

Como prepará-los para uso? Lave-os em água corrente rapidamente, sem deixar muito tempo, se não a água leva propriedades interessantes do ingrediente. Para usá-los hidrate-os com água morna ou vinho branco (depende de sua receita, para risotos eu hidrato com vinho branco). 20 minutos no liquido de hidratação de sua preferência já são suficientes – e use o liquido que os hidratou para a receita que for fazer, ele fica com bastante sabor.

Quer uma sugestão do que fazer com funghi secchi? Clique aqui e veja minha receita de risoto de funghi! 

Como fazer Nhoque! – Il vero Gnocchi Italino!

IMG-20160326-WA0004

Nhoque fresquinho servido com molho de tomate caseiro – abaixo tem o link para aprender a fazer esse molho incrível também!

Gnocchi! – Nasceu na cozinha pobre italiana, sendo uma herança positiva dos períodos de guerra, onde a escassez exigia que as pessoas criassem refeições com poucos ingredientes. Assim como a baguete francesa (o pão do povo) o nhoque na Itália surge diante da necessidade de alimentar a família com o que se tinha. Ao longo da história ele se sofisticou, ganhou as batatas, e sua fama ganhou o mundo. Como não amar um nhoque totalmente artesanal, feito em casa pelas suas mãos com amor e humanidade? Como não amar descobrir que essa belezinha é mais fácil de fazer do que parece? Pois é, temos muito para entender sobre o quanto fazer em casa ao invés de comprar pronto pode ser transformador! Lembrando a lei da vida: Nhoque bom tem muito mais batata que farinha de trigo! Com essa informação tudo dará certo!

Ingredientes:

  • 1kg de batatas (as amarelas, mais comuns de encontrar nos mercados no Brasil).
  • 200g de farinha de trigo
  • 2 gemas
  • Sal e pimenta-do-reino à gosto
  • 1 pitadinha de noz-moscada ralada
  • 1 colher de chá de manteiga
  • 2 colheres de sopa de parmesão ralado (o queijo é totalmente opcional!)

Modo de preparo:

Comece descascando as batatas e as colocando para cozinhar – se preferir pode por para cozinhar primeiro e depois descascar, como quiser. Cozinhe em água fervente ou no vapor. Quando estiver totalmente cozida, escorra, coloque em um recipiente e amasse, fazendo um purê. Em seguida, faça um buraquinho no meio do purê e acrescente a farinha, a manteiga, as 2 gemas, o sal e a pimenta, a noz-moscada e o parmesão (se for usar). Misture tudo, fazendo movimentos circulares de dentro para fora, amasse até obter uma massa homogênea. Esfarinhe uma superfície e pegue um pedaço da massa e faça rolinhos, cilindros, depois vá cortando os pedaços (pedaços de 2cm são o ideal) – lembre-se de sempre que precisar polvilhar farinha para não grudar, a massa é úmida e bem sensível, gruda fácil, conforme for cortando polvilhe farinha nos pedaços e procure não sobrepor um pedaço no outro, para evitar que grude. Feito isso gente, já ta pronta sua massa de nhoque! Agora é só cozinhar!

IMG-20160326-WA0015

Ferva água, então coloque os pedaços de nhoque na água fervente, quando subirem a superfície é porque já cozinhou – não deixe passar do ponto, subiu já tira da panela e escorra, é uma massa fresca sensível! Se passar fica molengo demais! Escorra e sirva com o molho de sua preferência! Eu ensino aqui no blog a fazer um molho de tomate rústico caseiro que fica MARAVILHOSO com esse nhoque! Clica aqui e confira a receita!

IMG-20160324-WA0080

Essa receita serve umas 6 pessoas, caso sobre você pode congelar a massa crua (já cortada nos pedaços em formato de nhoque) para preparar outro dia! Enrole-a em um papel filme ou guarde em um pote bem fechado, depois leve ao congelador.

Buon appetito!

Como fazer Bruschetta – autêntica e simples.

20150815_214609

Nessas eu coloquei umas fatias fininhas de tomate-cereja, e não coloquei manjericão fresco porque eu não tinha no dia – um crime, porque ele é indispensável!

Não tem segredo – na verdade tem, é a simplicidade. Vemos muitas variações por aí dessa famosinha italiana, em São Paulo mesmo já comi muitos tipos de “bruschetta”, até de graviola (mentira, no caso). Mas ainda não encontrei uma que traga a sensação que a original me traz, uma possibilidade de encontrar a presença dos ingredientes de forma plena e significativa. A bruschetta que é pão italiano, tomate, manjericão e parmesão é experiência plena, amor comestível. Confira receita abaixo!

Ingredientes:

  • Pão Italiano cortado em fatias (Eu gosto de fatias com uns 2,5 cm de espessura).
  • Manteiga (o suficiente para dourar as fatias de pão na frigideira)
  • Queijo Parmesão ralado à gosto
  • Manjericão fresco à gosto
  • Dentes de Alho (uns 2)
  • Molho de tomate (Para mim é fundamental que seja um molho feito  em casa, com pedaços grandes de tomate! Clique aqui e confira receita de molho de tomate caseiro – o melhor que já fiz!). ATENÇÃO: Deixe seu molho mais grosso e desligue quando ainda estiver pedaços de tomates resistentes, muito liquido não irá servir.

Modo de preparo:

Coloque uma colher de manteiga em uma frigideira grande e espere derreter, então coloque na frigideira as fatias de pão italiano e doure dos dois lados (não precisa ter muita manteiga, é preciso que doure pelo menos algumas partes do pão, e não toda a superfície). Após dourar tire da frigideira, corte um dente de alho no meio e esfregue a metade do dente nas fatias de pão, em seguida é só por o molho e acrescentar o queijo parmesão ralado e o manjericão à gosto. Eu não levo ao forno, não acho preciso. Pronto, simples e marcante! (suspiros).