Como fazer um honesto e bom doce (geleia) de uva!

Tem muita coisa por aí sendo vendida como geleia ou doce de fruta que contém tanta coisa estranha dentro que minha avó jamais chamaria isso de comida e chamaria de tolo quem chamasse. É muito bom quando pelo menos de vez em quando nos aproximamos da comida mais honesta que existe – aquela feita só com a natureza pura e com as nossas mãos, só, sem mágica química que altera as coisas e mais tarde altera a gente. Esse doce de uva é simples, vai só uva e açúcar pra virar doce (em medidas adequadas, aprendi a calcular a proporção de açúcar para uvas com a Paola Carosella, nem precisa falar mais nada, né mores?) e um toque de vinho e azeite de oliva, que uma amiga linda e ruiva me indicou. Fica bom mesmo, de coração. E também aprendi (também com Paola) a gostar de colocar nozes torradas no doce depois de pronto. Enfim, essa receita é resultado de muitos encontros e inspirações.  Eu gosto muito quando é assim.

Ingredientes:

  • 1kg de uvas pretas
  • Açúcar (pode ser demerara ou refinado)
  • 4 colheres de sopa de azeite de oliva extra-virgem
  • 1 xícara de café de vinho tinto (um bom, que você beberia bem feliz)
  • 1 colher de sopa de caldo de limão (melhor se for siciliano)
  • Nozes à gosto (opcional)

Modo de preparo:

Se suas uvas tiverem sementes, tire-as. Mantenha a casca. Leve para uma panela em fogo médio até que comece a ferver. Então deixe no fogo um pouco mais baixo até reduzir o volume de liquido pela metade, em seguida desligue e deixe esfriar. Agora você vai definir o quanto de açúcar irá usar, faça assim: Pese as uvas, então volte elas para a panela e coloque uma quantidade de açúcar que seja equivalente à 1/4 do peso das uvas (ou seja, se fosse 1kg o peso, seriam 400g de açúcar). Leve de volta ao fogo, acrescente o vinho, o suco de limão e o azeite, misture. Deixe reduzir novamente, dessa vez até atingir uma consistência que te agrade para seu uso – sinta e desligue quando seu coração disser que está perfeito. Se for acrescentar nozes, torre elas no forno, sem queimar, só um pouquinho para liberar um aroma emocionante, e então quebre em pedacinhos e acrescente no doce pronto.

Dicas de uso:

  • Ela fica ótima para cobrir uma sobremesa gelada, como uma cheesecake – se for usar para isso lembre-se de deixá-la mais líquida, e para essa finalidade não é bom usar nozes.
  • Passe manteiga no pão e acrescente o doce por cima, é algo com um tom de divindade, juro.
  • Como eu disse acima, parte do jeito de fazer essa receita aprendi com Paola Carosella, ela faz um doce parecido com esse e recheia biscoitos, fica muito bom. Então, pode usar como recheio.

Como fazer brusqueta  de queijo branco e geleia de fruta. 

As minhas tardes de domingo sempre foram um pouco vazias, e no meio desse vazio nasce o convite de criar alguma coisa. A cozinha ajuda nisso. Na minha história, um pedaço de pão sempre rendeu algo. Tenho um grande carinho por fazer torradinhas, brusquetinhas, pedaços de pão com alguma coisa carinhosa e boa por cima. Ontem a tarde de domingo foi significada com essa brusqueta simples, mas deliciosa e marcante.

Ingredientes (as quantidades são totalmente à gosto e variam de acordo com a quantidade de brusquetas, use seu gosto e bom senso):

  • Fatias de pão
  • Queijo branco
  • Geleia de fruta
  • Azeite de oliva extra virgem
  • Folhas de hortelã para finalizar

Modo de preparo:

Pegue as fatias de pão, regue generosamente com azeite, coloque queijo branco e leve ao forno até dourar e o queijo amolecer. Tire e coloque um doce de fruta (pode ser qualquer doce/geleia de fruta que você tenha algum carinho, aqui eu usei uma de calafate (uma frutinha da Patagônia). Coloque folhinhas de hortelã, dá um frescor gentil. O azeite é importante pra dar umidade (visto que o queijo branco sozinho não faz isso) e o aroma do azeite fica ótimo com o doce de fruta. Escolha um bom, isso importa.Seja muito feliz comendo.

E ah,  o que na real preenche vazios não são as torradinhas, óbvio. Elas são uma delicia, mas o que preenche mesmo o vazio é a experiência criativa de fazer algo, mesmo que simples, com suas mãos, com seu tempo. Bon appétit.