Chapati (pão de frigideira indiano)

Tipo um Rap10 caseiro. Só leva 4 ingredientes e alguns minutos pra você fazer esse pão gracinha cheio de emoção indiana. Serve pra sanduíches, pra acompanhar vários pratos (principalmente os cremosos), para entradinhas… vixe, muito amor possível. Gosto tanto dessa receita, espero que aproveitem!

Abaixo a receita, mas se quiser, clique aqui e veja no IGTV do meu Instagram @rodrigo.vilasboas um video com todo passo a passo!

Ingredientes:

  • 1 xícara de chá de farinha de trigo
  • Meia colher de chá de sal
  • 1/3 de xícara de chá de água
  • 1 colher e meia de sopa de óleo

Modo de preparo:

Em uma tigela coloque a farinha e o sal, misture e coloque e metade da água, misture para umedecer a farinha. Acrescente o óleo e misture, e então acrescente o restante da água. Incorpore tudo. Espalhe farinha em uma bancada e sove a massa por pelo menos 4 minutos, até a massa ficar macia. Cubra com papel filme ou com um pano e deixe descansar 10 minutos. Após isso, faça um rolo com a massa e corte em no máximo 7 partes. Faça bolinhas com essas partes e abra elas, deixando na espessura mais fina que puder, sem deixar rasgar. Aqueça uma frigideira (melhor se for antiaderente) em fogo médio, não precisa untar, e leve os discos, um por vez. Deixe uns 30 segundo de um lado e depois uns 15 do outro. Pronto! Se quiser, ao tirar da frigideira, passe ele direto na chama do fogo do fogão, para dar uma tostada – eu adoro essa parte e adoro o resultado que ela traz! Coma como quiser, são mil possibilidades de uso! 🙂

Como fazer Tikka Masala e viver a intensidade da cozinha indiana. 

O tikka masala é um frango feito em um molho perfumadíssimo, molho esse que hoje na Índia eles chamam de “curry” – lá o curry consiste em misturar especiarias até que virem um pó ou uma pasta para preparar um caldo intenso – o curry para eles é o caldo já pronto. Os ingleses quando chegaram na Índia se encantaram com a mistura de especiarias que os indianos faziam e chamaram essa mistura de “curry”, e isso deu origem ao temperinho de tom amarelo hoje muito popular, que é uma mistura de temperos. Então para nós o curry é aquele tempero amarelinho, para os indianos é o caldo picante e perfumado já pronto que envolve diversos pratos. Curry vem de “kari”, termo da língua tâmil para caldo temperado. Na Índia há muitos tipos de masala (termo que significa mistura de especiarias), cada região e cada família tem seu modo de fazer. A “garam masala” (que significa mistura de especiarias picante) é a base do tikka masala. A minha faço misturando o popular curry com outras coisas. Vem arder na emoção da cozinha indiana comigo, te ensino um tikka masala memorável de pedir socorro de tanto amor e intensidade.

Ingredientes (Serve de 6 à 8 pessoas):

Primeiro, faça seu “garam masala” – a mistura de especiarias que você usará para temperar o frango. Para 1kg de peito de frango, use as quantidades:

  • 1 colher e meia de sopa de curry (ou 1 colher só rasa, se quiser menos intenso)
  • 1 colher de chá de páprica defumada
  • 1 colher de chá de açúcar mascavo
  • 1 colher de chá de coloral vermelho em pó
  • Meia colher de chá de cominho em pó
  • Meia colher de chá de cravo-da-índia em pó
  • Meia colher de chá de canela em pó
  • Para muita emoção: Meia colher de chá de pimenta caiena. Para média emoção: 1/4 de colher de chá de pimenta caiena. Para leve emoção: Uma pitada de pimenta caiena (você pode substituir por outra pimenta potente que tenha)
  • Meia colher de chá de cardamomo em pó (ou as sementinhas tiradas de dentro das favas trituradas/ maceradas)

Obs: Caso você não tenha todos os temperos, use só os que você tem, mas é importante que tenha vários aromas e sabores – a marca profunda da cozinha indiana é essa complexidade de perfumes juntos encantando a gente. E também ajuste as quantidades de preferir mais suavidade, eu gosto de bem intenso.

Misture todos os temperos e reserve.

Restante dos ingredientes:

  • 1kg de peito de frango cortado em cubos
  • 340 g de iogurte natural
  • 1 xícara de chá de leite de coco
  • 1 xícara de molho de tomate
  • 2 colheres de sopa de óleo de gergilim ou outro
  • 4 colheres de sopa de azeite
  • 1 cebola picada em cubos
  • 3 dentes de alho triturados
  • 1 colher de chá de gengibre ralado
  • Caldo de meio limão
  • Sal à gosto
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • Coentro fresco picado

Modo de preparo:

Em uma tigela, coloque o frango e acrescente a gargam masala – a mistura de temperos que você fez. Acrescente metade do iogurte, o gengibre, o limão, o óleo de gergelim e cerca de meia colher de sopa de sal. Misture tudo e deixe marinar por 6 horas ou pelo menos 2.

Leve ao fogo médio uma panela (grande o suficiente para receber todo o frango), coloque o azeite, a cebola e uma pitada de sal. Refogue ela até ficar transparente e então acrescente o alho, espere ele fritar um pouco. Então acrescente o frango que estava marinando. Cozinhe mexendo de vez em quando, ainda em fogo médio, até o frango ficar totalmente cozido (tampe a panela de vez em quando e abra de vez em quando, para parte do vapor ter vazão). Estado o frango todo cozido, coloque todos os outros ingredientes (exceto o coentro) e deixe ferver até ficar um caldo com consistência de seu agrado. Se achar necessário coloque água para um caldo mais ralo – se colocar água sempre deixe ela ferver para incorporar totalmente o sabor. Quando desligar o fogo, coloque 1 colher de sopa de manteiga, misture para incorporar e finalize com coentro. Prontinho. Pra mim, o melhor jeito de comer tikka masala é com um arroz branco fresquinho.

Cinema e Gastronomia – Filme “A 100 Passos de um Sonho”.

 

a-100-passos-de-um-sonho

A 100 passos de um Sonho é um dos melhores filmes que vi esse ano sobre gastronomia, arte, cultura e afeto. O filme fala do encontro entre a cultura gastronômica indiana e a francesa, mostrando a possibilidade de culturas diferentes coexistirem e juntas criarem elementos novos – e lindos. Podemos estender a ideia que o filme traz para diversas questões sobre preconceitos e exclusão que tanto nos limitem e nos impedem de aprender com o diferente de nós. Me identifico muito com o filme, principalmente quando lembro dos tantos toques que já dei em receitas clássicas francesas com especiarias do nordeste – nossa origem e nossa alma estando no prato o torno autentico. O filme fala de gastronomia, amor, autenticidade, respeito.

02_2-jpg

O filme narra um história ocorrida no sul da França, onde Madame Mallory (Helen Mirren) é uma respeitada e autoritária dona de um restaurante estrelado no famoso guia Michelin que está cada vez mais preocupada com um estabelecimento indiano, concorrente, que abriu do outro lado da rua do seu famoso restaurante. Ela trava uma verdadeira guerra contra o vizinho, mas aos poucos conhece o filho do seu adversário, Hassan Kadam (Manish Dayal), um garoto com autêntico talento para a culinária. Os dois tornam-se amigos, e Mallory passa a guiá-lo pelos conhecimentos da refinada gastronomia francesa, sem abandonar a tradição indiana, encorajando-o a alçar voos muito mais altos. Uma história de encontro autêntico, aprendizado e amor promovido pela gastronomia.

A delicadeza do filme nos inspira. O permitir-se permear por uma cultura e costumes diferentes do nosso é algo extremamente difícil, porém a abertura ao novo, ao estranho à nós nos proporciona um crescimento sem igual. O filme lindamente mostra isso, ilustrado através do ato de cozinhar está indicado uma conduta existencial aberta as mais belas possibilidades. O filme proporciona uma lição de ética, cidadania, respeito e humanidade. Também nos faz observar apaixonadamente a dança de sentidos de o ato de cozinhar proporcionar. Uma linda obra que vale muito a pena ser vista!

Título original: The Hundred-foot Journey, Ano: 2014.

Clique aqui e confira o trailer!

No site Filmes Online Grátis você encontra o filme para assistir online! Clique aqui e vá para lá.