Como fazer salmão no papelote, e aprender o valor do tempo. 

Você pode temperar, assar e comer um salmão em apenas alguns minutos, pode ser super rápido. Mas hoje eu quero sugerir um salmão que te ensine algo: o valor do tempo. Essa coisa de só querer coisas rápidas… a pressa tem tirado da gente a chance de ter experiências significativas importantes, que trazem cor e sentido pra vida, e isso pode ser bem triste. Que marcas ficam em você depois que a receita/refeição acaba? O que você registra e guarda? Preste atenção nessa receita:

Ingredientes:

  • 1kg de salmão cortado em postas (eu deixo a pele porque ela protege a carne do calor mantendo umidade).
  • Sal à gosto
  • Pimenta-do-reino à gosto
  • 3 colheres de sopa de vinho branco
  • Azeite de oliva extra virgem à gosto
  • Dill à gosto.

Você precisará de papel manteiga e vontade de desacelerar.

Como fazer (sem pressa e com verdade):

Abra a garrafa de vinho, beba alguns goles e coloque uma música que você goste muito. Abra um folha de papel manteiga sob uma fôrma (de um tamanho que dê para receber o salmão e cobrir ele depois). Coloque nela o salmão, o ajeite com calma e carinho, pensando no quanto o mar é imenso, assim como sua vida e história. Coloque todos os ingredientes sob o salmão, com o cuidado de que cada posta seja temperada. Enquanto temperar apenas tempere, não pense em outras coisas que não estão ali, diante de você agora. Quando terminar, olhe para o salmão e agradeça, em seguida feche o papel manteiga, fazendo uma trouxinha. Pré-aqueça o forno à 200 graus. Enquanto espera ouça com atenção a música que está tocando e pense no porque você gosta dela. Leve ao forno por 15/20 minutos – o ponto do salmão é quando ele está com um rosa vivo por dentro. Retire, coma com os acompanhamentos e molhos que sentir vontade, ou só ele.

Você poderia fazer essa receita em 20 minutos. Desse jeito deve levar quase 1 hora, mas o legado que ficará é outro. A vida é boa, se dê uma chance de notar.

Receita de croque de brócolis com purê de ervilhas frescas e brócolis.

Estrelando croque de brócolis e purê de ervilhas frescas. Escolher ingredientes frescos, cozinhá-los com cuidado e respeito, alimentar-se não só de comida, mas da experiência de transformar a natureza artesanalmente para suprir a si mesmo. Artesanal significa fazer com as mãos. Em tempos de alimentação tão industrial e “terceirizada”, de tanta falta de tempo, cozinhar é revolucionário. Não peça pizza hoje. Tenha pão fatiado, queijo, leite, manteiga, brócolis e ervilha e faça com suas mãos o que irá te nutrir hoje. É mágico.

Ingredientes do croque (para 4 croques):

  • 1 receita de molho béchamel, ou se gostar de muito molho, 1 receita e meia. Clique aqui e veja a receita do molho béchamel perfeito.
  • 8 fatias de pão – de fôrma, integral, brioche, o que preferir.
  • Queijo (umas 300g) do que preferir – eu gosto de usar gruyére, mas mussarela também fica bom. Rale o queijo, fica melhor usar ralado.
  • Mostarda dijon para passar no pão.
  • Manteiga para passar no pão.
  • Brócolis – mais ou menos metade de uma cabeça (é cabeça que fala gente? Enfim…)

Ingredientes do purê de ervilhas frescas com brócolis:

  • Umas 4 colheres de sopa de ervilhas frescas
  • Mais ou menos meia cabeça de um brócolis pequeno.
  • Um terço de uma batata doce grande
  • Umas 2 colheres de sopa de coentro picado
  • Uma colher de chá de manteiga
  • Uma colher de chá de azeite de oliva
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto
  • Leite o quanto bastar
  • 3 colheres de sopa de creme de leite

Modo de preparo do croque:

Enquanto prepara o molho béchamel (receita no link acima) deixe o brócolis cozinhando no vapor. Estando o molho pronto, prepare as fatias de pão: Toste elas em uma torradeira ou colocando no forno por alguns minutos. Não toste muito, apenas para criar uma superfície crocante, mas que continue macia por dentro. Após isso passe um pouco de manteiga e um pouco de mostarda dijon e todas as fatias (apenas de um lado de cada uma delas).

Agora vamos a montagem: Com as fatias prontas, com o molho pronto e brócolis cozido, é hora de montar: Pique o brócolis em pedacinhos bem miúdos. E monte na seguinte sequência: Uma fatia de pão, um pouco do queijo (gosto de ser generoso com o queijo), um pouco do brócolis, 2 ou 3 colheres de sopa cheias de molho béchamel, a outra fatia de pão (sempre com a parte que passou manteiga e mostarda viradas para dentro do sanduíche), por cima do sanduíche então já fechado coloque mais 2 ou 3 colheres de sopa de béchamel, e finalize com mais queijo por cima. Se quiser pode por também um pouco de queijo parmesão pra finalizar.

Faça o mesmo com todos os sanduíches e leve ao forno pré-aquecido a 200 graus por uns 15 minutos – ou até dourar o queijo de cima ao seu gosto.

Modo de preparo do purê:

Cozinhe a vapor o brócolis, a ervilha e a batata doce tudo junto. Cozinhe a batata cortada em pedaços pequenos e sem casca. Após cozinhar, coloque tudo em um processador ou liquidificador e acrescente todos os outros ingredientes (exceto o leite e creme de leite). Comece a bater e vá acrescentando leite aos poucos, até atingir a consistência desejada. Quando já estiver todo batido sem pedaços coloque o purê em uma panela ou frigideira. Leve ao fogo brando e então acrescente o creme de leite. Vá mexendo, verifique o sal, e deixe no fogo até aquecer o suficiente para servir e a consistência atingir o seu agrado.

Prontinho! Sirva juntos que será amor. Esse purê acompanha muito bem carne de porco também! Bon appétit!

Batata-doce e cenoura assada com azeite – Rústico, puro, genuíno.

image

Não é apenas de pratos elaboradíssimos que podem vir experiências gastronômicas incríveis. A simplicidade pode fornecer algo mágico se estivermos prontos para notar o sabor puro e simples da natureza, do ingrediente em sua forma e composição singular. A sensibilidade ao simples nos fornece a chance de uma viagem pelas propriedades do ingrediente, notando a alma dele. As cenouras e batatas-doces da imagem forem feitas da seguinte forma: Foram colhidas, apreciadas, lavadas, cortadas com carinho em cortes rústicos. Coloquei azeite em uma forma, por cima as batatas e cenouras, depois reguei com mais azeite. Assaram por cerca de 20 a 30 mintos a 190 graus, tirei do forno, notei se estava no ponto, estavam perfeitas. Coloquei flor de sal por cima e comi – comi a batata, a cenoura, o azeite e a flor de sal – as senti, pensei na natureza, senti gratidão, me conectei a algo de antigo do mundo, algo rústico, puro, real e genuíno. Nunca vou esquecer o gosto dessa cena inteira.