Como fazer Croque-monsieur – Um elegante e típico francês!

20150103_211847

Croque-monsieur jamais será apenas um sanduíche, apesar de ser um sanduíche. Ele foi o primeiro clássico francês que fiz na vida, há muitos anos.  Era uma sexta a noite, eu ainda era tão jovem, ainda não sabia tanta coisa (não que eu saiba tanto agora, mas sei um pouco mais). Eu não sabia ainda o quanto a gastronomia francesa ganharia espaço na minha vida – era um tempo que eu estava buscando para onde andar exatamente. A cozinha ajuda a gente a aprender coisas valiosas. Aprendi naquele tempo à primeiro olhar algo, mesmo que de longe, e depois ir ao seu encontro. Enfim. Croque pra mim tem um gosto de frescor, inicio, sonhos e começo – porque eu era assim quando ele entrou na minha vida. As horas da vida sempre tem um gosto.

Muito comum nos cafés e restaurantes da França, ele tem todo um gosto de aconchego, de abraço e conforto – Aliás, acredito fielmente que tudo que tem béchamel faz a gente se sentir abraçado, é quase uma lei de Newton isso. O croque tem charme, tem béchamel, muito queijo, muitos crocantes, tem muito de Paris e é um francês de tirar qualquer mau humor da gente.! E não tem nada de difícil em fazê-lo. Abaixo a receita que compartilho com muito afeto e memória – seja feliz fazendo, e bon appétit!

Ingredientes:

Antes de listar os ingredientes gente, uma observação: Não limitaremos quantidades porque isso vai depender de quantos sanduíches você irá fazer. Ao longo da receita e durante a montagem do sanduíche daremos sugestões de quantidades, mas cada um pode colocar o tanto de queijo que quiser ou o tanto de molho que quiser, porque somos livres!  Agora vamos ao que você irá precisar:

  • Pão cortado em fatias (pode ser de fôrma, eu prefiro sempre artesanais, e quando é possível sempre opto por brioche).
  • Manteiga
  • Mostarda Dijon (Se não tiver pode ser mostarda comum)
  • Queijo Gruyère (Esse tipo de queijo tem um tom doce que combina demais com essa receita! Porém se você preferir pode usar outro queijo, como mussarela ou parmesão).
  • Presunto (do tipo que você preferir).
  • Molho béchamel (Espera que já mostramos a receita desse molho!)

Modo de preparo:

A primeira coisa a fazer é seu molho béchamel! Você descobre como fazer o molho béchamel clicando aqui. Com essa receita de molho béchamel você consegue fazer até 4 sanduíches, se for precisar para mais faça mais de uma receita. Depois de pronto reserve o molho. Agora você irá tostar o seu pão – para cada sanduíche você precisará de 2 fatias. E existem dois jeitos de tostar: Passar um pouco de manteiga e colocar naquelas torradeiras eletricas ou passar manteiga nas fatias e tostar na frigideira, você que escolhe. Feito isso, é hora de começar a montagem do sanduíche, siga a seguinte ordem:

  1. Pegue uma das fatias e passe um pouco da mostarda (bem pouquinho).
  2. Coloque a quantidade desejada de presunto (uma fatia grande já está bom)
  3. Coloque uma camada de molho béchamel (cerca de 1 à 2 colheres de sopa)
  4. Coloque a quantidade desejada de queijo (se você ralar o queijo fica melhor, mas pode colocar como preferir)
  5. Passe mostarda na outra fatia de pão e coloque por cima de tudo.
  6. Então passe mais uma camada de molho béchamel
  7. E para finalizar, coloque mais queijo por cima.
Todas as fases da montagem do Croque-monsieur, e a última imagem é ele já assado!

Todas as fases da montagem do Croque-monsieur, e a última imagem é ele já assado!

Pronto! Agora é só levar seu croque-monsieur para tostar no forno pré-aquecido à 200 graus, por cerca de 15 à 20 minutos (ou até que o queijo de cima comece a dourar). Depois é só servir! Olha que lindo que fica:

20150103_211649

20150103_211417

Bon appétit!

Anúncios

Ovo assado no ramequim e pão na chapa com mozzarella de búfala e crisp de presunto. 

Ovo que foi ao forno em um ramequim untado com manteiga, depois de uns 15 minutos à 200 graus saiu dele com uma gema mole extremamente sedutora e foi gentilmente ressaltado com pequenos toques de flor de sal. Pão na chapa com mozzarella de búfala e crisp de presunto. Para ter o crisp é só ressecar o presunto no forno até ficar crocante. Não há nada demais com esse prato, mas eu o amo. Uma tarde de sábado se tornou mais gentil e interessante com ele e com Julia Roberts dando um sorriso de Monalisa na tela da minha tv enquanto eu mordia um pedaço do pão. A vida tem dessas coisas pra acontecer, calmamente, num sábado a tarde. Ainda bem. Parece pouco e simples, talvez,  mas é bom de vez em quando amar o simples, o detalhe, o singelo. É realmente bom.

Receita da tradicional Baguete Francesa!

IMG-20151203-WA0019

Baguette – le pain égalité! (O pão da igualdade) – Durante a Revolução Francesa, em 1793, um decreto tornou obrigatório que ricos e pobres tivessem acesso ao mesmo tipo de pão – foi então instituída a famosa baguete – o pão da igualdade, o que se deve a sua econômica produção (não usava leite, ingrediente que encarecia os produtos na época), entre outros aspectos. Hoje é um dos maiores símbolos do país, ir a França e não comer uma baguete é como amar a Madonna e nunca ter dublado Like a Prayer em casa sozinho (Acho que não foi a melhor comparação, mas foi o que me veio na cabeça no momento, sem referências autobiográficas – risos). Confira abaixo a receita da tradicional baguete francesa!

Antes algumas observações:

  • A escolha da farinha é sempre muito importante para conseguir um pão bom de verdade. A farinha orgânica é sua melhor opção, se não encontrá-la, use a farinha comum (conhecido como tipo 1) – nunca compre aquela denominada “especial”. E pense na marca de farinha que irá escolher, crie familiaridade com uma farinha, conheça sua produção, origem e qualidade, isso é importante e te trará comida de verdade, com resultados emocionantes.
  • Essa receita é muito mais adequada de fazer com uma batedeira com gancho – aqueles de “amassar massa”. Você pode tentar na mão, porém é uma massa muito úmida, e precisa ser mesmo, na mão fica difícil mas é possível. Só não se deixe levar e por mais farinha para facilitar, isso tornará a massa seca, e não úmida e incrível como uma baguette deve ser.
  • O glútem se forma magicamente mas pode ser destruído se você movimentar a massa mais que o preciso e na hora errada, por isso preste atenção nos tempos da receita.

Que seja emocionante fazer e comer. Siga em frente!

IMG-20151203-WA0011

Ingredientes (Para 3 baguetes médias):

  • 500g de farinha de trigo (talvez um pouco mais para atingir o ponto exato da massa). Preferência para farinha de trigo orgânica, se não achar, a comum, mas uma que confie e saiba que é boa.
  • 15g de fermento biológico fresco (um tablete daqueles mais comuns de se encontrar por aí).
  • 380 ml de água morna
  • 10g de sal
  • 3 a 4 colheres de sopa de azeite de oliva extra-virgem
  • Manteiga para untar um recipiente

Modo de preparo:

Dissolva o fermente em 4 colheres de sopa da água morna em uma tigela, esfarelando ele, após dissolver todo deixe descansar por 5 minutos.

Se tiver a batedeira que bata massa de pão, hora de pegá-la, se não, use suas mãos e um recipiente para misturar os ingredientes. Coloque a farinha de trigo no recipiente (caso esteja usando a batedeira, já coloque no recipiente dela) e misture com o sal. Em seguida abra um buraco no centro e acrescente o fermento, a água e o azeite.

Se estiver usando a batedeira é só começar a bater (com o gancho para massa) em velocidade baixa por 1 minuto, então desligue a batedeira um instante, passe uma espátula em volta do recipiente e misture para garantir que tudo incorpore, e volte a bater na velocidade 1. Após esse tempo, colocar na velocidade 2 e bater por mais 10 minutos, Após esse tempo verifique se a massa chegou ao ponto, que é o ponto de véu: Um ponto onde você estica a massa e ela fica quase transparente, mas sem rasgar – ou seja, muito elástica. Se ela não tiver atingido esse ponto, esfarinhe uma superfície, coloque a massa, esfarinhe um pouco a mão e trabalhe a massa até atingir o ponto de véu e adquirir essa elasticidade linda que queremos. Atenção: Não acrescente mais farinha para facilitar seu trabalho, a massa é mole e úmido e precisa manter assim, apenas esfarinhe sua mão e superfície para trabalhar a massa, sem por mais farinha na massa.

Se for usar suas mãos, siga os mesmos tempos, mas com suas mãos e energia: comece a mexer essa mistura ainda no recipiente e se preferir, comece com uma espátula, porque no inicio a massa pode grudar muito nas mãos – como eu disse, é uma massa bem úmida. Mexa lentamente por 1 minuto até tudo estar incorporado, depois continue menos lentamente por 5 minutos, e depois com mais energia (mas sem agressividade) trabalhe ela por 10 minutos. Faça isso até atingir o ponto de véu (descrito acima), quando atingir, pare de mexer.

Coloque essa massa linda e macia (passe os dedos e sinta a maciez) em um recipiente untado com manteiga, cubra-o com um pano úmido ou plástico e deixe em um lugar de temperatura amena por 1 hora e meia descansando.

20151203_164154

Depois de descansar, volte a massa para a superfície de trabalho (que deve estar enfarinhada) e amasse ela gentilmente só um pouquinho, cerca de 30 segundos (para essa parte não use batedeira, precisa ser toque gentil, humano). Nessa parte já divida a massa em três partes iguais e comece a formar as baguetes com cada uma das partes: pegue o pedaço da massa, vá rolando fazendo o formato de um cilindro, esticando gentilmente a massa do meio para as extremidades, então faça dobras na massa (pegando as pontas das extremidades, levando até o meio e depois rolando de novo, formando um novo cilindro – o formato das baguetes. Essa coisa de dobrar a massa e ir enrolando é importante para permitir uma maciez interessante e adesão de ar. Deixe-as do tamanho e cumprimento de sua preferência.

Coloque as baguetes na fôrma que irá assar (unte com manteiga e farinha de trigo se sua fôrma não for antiaderente). Se tiver fôrmas especiais para baguete, será perfeito. Cubra-as com um pano e deixe descansar por mais uns 40 minutos. Um pouco antes de terminar o tempo de descanso, já pré aqueça seu forno à 240 graus.

Após esse tempo de descanso faça os famosos cortes nas baguetes (de preferência com uma navalha ou faca bem afiada). Os cortes são a assinatura do padeiro, faça quantos quiser. Normalmente são transversais e a quantidade um número ímpar. Não os faça muito fundos, bem superficiais e singelos – ao assar eles aumentam. Após isso leve direto ao forno (eu gosto de polvilhar uma mistura de farinha de trigo com farinha de semolina por cima). Importantíssimo: No momento em que colocar as baguetes para assar, coloque uma fôrma ou outro recipiente com água dentro do forno, embaixo da grade onde as baguetes estarão – o vapor da água fará com que as baguetes adquiram aquela casquinha crocante deliciosa.

Asse à 240 graus por 15 minutos, depois abaixe para 220 graus e asse até ficarem douradas e lindas – um total de mais ou menos 40 minutos no forno.

IMG-20151203-WA0021

Prontinho! Aproveite essa delícia tão francesa e tão maravilhosa e bon appétit!

Receita de croque de brócolis com purê de ervilhas frescas e brócolis.

Estrelando croque de brócolis e purê de ervilhas frescas. Escolher ingredientes frescos, cozinhá-los com cuidado e respeito, alimentar-se não só de comida, mas da experiência de transformar a natureza artesanalmente para suprir a si mesmo. Artesanal significa fazer com as mãos. Em tempos de alimentação tão industrial e “terceirizada”, de tanta falta de tempo, cozinhar é revolucionário. Não peça pizza hoje. Tenha pão fatiado, queijo, leite, manteiga, brócolis e ervilha e faça com suas mãos o que irá te nutrir hoje. É mágico.

Ingredientes do croque (para 4 croques):

  • 1 receita de molho béchamel, ou se gostar de muito molho, 1 receita e meia. Clique aqui e veja a receita do molho béchamel perfeito.
  • 8 fatias de pão – de fôrma, integral, brioche, o que preferir.
  • Queijo (umas 300g) do que preferir – eu gosto de usar gruyére, mas mussarela também fica bom. Rale o queijo, fica melhor usar ralado.
  • Mostarda dijon para passar no pão.
  • Manteiga para passar no pão.
  • Brócolis – mais ou menos metade de uma cabeça (é cabeça que fala gente? Enfim…)

Ingredientes do purê de ervilhas frescas com brócolis:

  • Umas 4 colheres de sopa de ervilhas frescas
  • Mais ou menos meia cabeça de um brócolis pequeno.
  • Um terço de uma batata doce grande
  • Umas 2 colheres de sopa de coentro picado
  • Uma colher de chá de manteiga
  • Uma colher de chá de azeite de oliva
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto
  • Leite o quanto bastar
  • 3 colheres de sopa de creme de leite

Modo de preparo do croque:

Enquanto prepara o molho béchamel (receita no link acima) deixe o brócolis cozinhando no vapor. Estando o molho pronto, prepare as fatias de pão: Toste elas em uma torradeira ou colocando no forno por alguns minutos. Não toste muito, apenas para criar uma superfície crocante, mas que continue macia por dentro. Após isso passe um pouco de manteiga e um pouco de mostarda dijon e todas as fatias (apenas de um lado de cada uma delas).

Agora vamos a montagem: Com as fatias prontas, com o molho pronto e brócolis cozido, é hora de montar: Pique o brócolis em pedacinhos bem miúdos. E monte na seguinte sequência: Uma fatia de pão, um pouco do queijo (gosto de ser generoso com o queijo), um pouco do brócolis, 2 ou 3 colheres de sopa cheias de molho béchamel, a outra fatia de pão (sempre com a parte que passou manteiga e mostarda viradas para dentro do sanduíche), por cima do sanduíche então já fechado coloque mais 2 ou 3 colheres de sopa de béchamel, e finalize com mais queijo por cima. Se quiser pode por também um pouco de queijo parmesão pra finalizar.

Faça o mesmo com todos os sanduíches e leve ao forno pré-aquecido a 200 graus por uns 15 minutos – ou até dourar o queijo de cima ao seu gosto.

Modo de preparo do purê:

Cozinhe a vapor o brócolis, a ervilha e a batata doce tudo junto. Cozinhe a batata cortada em pedaços pequenos e sem casca. Após cozinhar, coloque tudo em um processador ou liquidificador e acrescente todos os outros ingredientes (exceto o leite e creme de leite). Comece a bater e vá acrescentando leite aos poucos, até atingir a consistência desejada. Quando já estiver todo batido sem pedaços coloque o purê em uma panela ou frigideira. Leve ao fogo brando e então acrescente o creme de leite. Vá mexendo, verifique o sal, e deixe no fogo até aquecer o suficiente para servir e a consistência atingir o seu agrado.

Prontinho! Sirva juntos que será amor. Esse purê acompanha muito bem carne de porco também! Bon appétit!