Geleia de cebola roxa com vinho

Geleia de cebola roxa com vinho – ter um potinho disso na geladeira é um coringa mara pra vários preparos e horas. No pão, nos queijos, ao lado de uma carne… a doçura natural da cebola vira aqui uma geleia de sabor pleno que tem meu amor pra sempre.

Ingredientes:

  • 4 cebolas roxas médias
  • 1 xícara de chá de vinho tinto
  • 1 xícara de chá de açúcar cristal ou comum
  • Suco de meio limão
  • 1 pitada de canela em pó
  • 1 colher de chá de extrato de baunilha
  • Sal e pimenta à gosto
  • 3 colheres de sopa de azeite

Modo de preparo:

Corte a cebola em lâminas finas meia lua. Em uma panela em fogo médio coloque o azeite e refogue as cebolas com 1 pitada de sal até estarem macias. Junte o vinho, depois o açúcar e misture. Coloque todos os outros ingredientes, abaixe o fogo e deixe cozinhar por cerca de 25 min, mexendo de vez em quando. No final ainda é preciso ter um pouco de liquido (que vai engrossar depois que a geleia esfriar na geladeira). Confira o sal e ajuste sabores para que fiquem ao seu gosto. Coloque em um pote, deixe esfriar em temperatura ambiente e depois deixe na geladeira por pelo menos 2 horas. Dura uns 20 dias refrigerado. 

Para bruschettas, sanduiches, acompanhar carnes (principalmente de porco), num simples pãozinho, finalizar risotos… se joga na criatividade e sinta a versatilidade dessa geleinha, meninxs.

Chapati (pão de frigideira indiano)

Tipo um Rap10 caseiro. Só leva 4 ingredientes e alguns minutos pra você fazer esse pão gracinha cheio de emoção indiana. Serve pra sanduíches, pra acompanhar vários pratos (principalmente os cremosos), para entradinhas… vixe, muito amor possível. Gosto tanto dessa receita, espero que aproveitem!

Abaixo a receita, mas se quiser, clique aqui e veja no IGTV do meu Instagram @rodrigo.vilasboas um video com todo passo a passo!

Ingredientes:

  • 1 xícara de chá de farinha de trigo
  • Meia colher de chá de sal
  • 1/3 de xícara de chá de água
  • 1 colher e meia de sopa de óleo

Modo de preparo:

Em uma tigela coloque a farinha e o sal, misture e coloque e metade da água, misture para umedecer a farinha. Acrescente o óleo e misture, e então acrescente o restante da água. Incorpore tudo. Espalhe farinha em uma bancada e sove a massa por pelo menos 4 minutos, até a massa ficar macia. Cubra com papel filme ou com um pano e deixe descansar 10 minutos. Após isso, faça um rolo com a massa e corte em no máximo 7 partes. Faça bolinhas com essas partes e abra elas, deixando na espessura mais fina que puder, sem deixar rasgar. Aqueça uma frigideira (melhor se for antiaderente) em fogo médio, não precisa untar, e leve os discos, um por vez. Deixe uns 30 segundo de um lado e depois uns 15 do outro. Pronto! Se quiser, ao tirar da frigideira, passe ele direto na chama do fogo do fogão, para dar uma tostada – eu adoro essa parte e adoro o resultado que ela traz! Coma como quiser, são mil possibilidades de uso! 🙂

Como fazer Chilli Mexicano!

Vem fazer bailando um preparo antigo e tradicional da cozinha mexicana, que é feito à base de carne e feijão. Super simples e barato, serve para muitas ocasiões – desde petisco charmoso até prato principal. Vem ficar envolvido por toda verdade mexicana aprendendo isso aqui – se divertindo enquanto faz, claro (porque eu sinceramente não sei qual a graça de fazer um prato mexicano se não for com música latina, entusiasmo e emoção).

Abaixo receita, mas no meu Instagram @rodrigo.vilasboas tem um video com todo o passo a passo para não ter erro, e nele também tem toda essa animação e entusiasmo mexicano que estou falando! Clique aqui para ver!

Ingredientes:

  • 500g de carne moída (de preferência patinho ou acém)
  • 250g de feijão carioca
  • Meia cebola picada
  • 2 dentes de alho picados
  • Sal à gosto
  • Pimenta chilli (ou outra) à gosto
  • Canela em pó à gosto
  • Cominho em pó à gosto
  • Curry à gosto
  • 1 xícara de extrato de tomate
  • Caldo de meio limão
  • Queijo parmesão ralado para finalizar (opcional)

Modo de preparo:

Antes de começar coloca alguma música latina caliente, bebe um gole de tequila, rebola um pouco e entra em um ritmo babadeiro e entusiasmado, tudo dará mais certo assim, acredite.

Coloque o feijão em uma panela de pressão e cubra com água até ficar 3 dedos acima dos feijões. Cozinhe na pressão por 30 minutos ou até estar cozido totalmente. Em seguida, triture em um liquidificador ou em um processador cerca de 2/3 do feijão cozido, até virar uma pasta (coloque um pouco de água do cozimento para ajudar a triturar se precisar). Deixamos alguns feijões sem triturar porque fica gostoso uns inteiros no meio. Reserve a pasta e os feijões inteiros.

Em uma panela, coloque fios de azeite e coloque a cebola, 2 minutos depois coloque o alho. Refogue e então acrescente a carne, misture. Daí, acrescente todos os temperos, inclusive o sal (tudo à gosto, vá provando para checar, use intuição).

Quando a carne estiver toda cozida e em cor uniforme, coloque o extrato de tomate e misture. Deixe cozinhar uns 3 minutos e então acrescente a pasta de feijão e os feijões inteiros. Misture bem e acerte todos os temperos (agora que colocou o feijão precisa reequilibrar). Deixe cozinhar tudo junto por uns 5 minutos. Se ficar muito duro acrescente água, mas a ideia é que fique uma “pasta” mesmo. Acrescente o caldo de meio limão e misture. Pronto!

Na hora de servir, coloque por cima queijo parmesão ralado, indico aqueles menos secos, que não são desidratados, sabe?

Sirva com nachos, tortilhas, tacos, torradas, arroz, guacamole (que inclusive tem uma receita aqui, só clicar) ou com o que quiser. Seja feliz comendo e arriba!

Café de terça do Brasil – Hoje: Pão na chapa em 2 versões (tradicional e com queijo cremoso tostado) com pingado.

Terça-feira de café da manhã inspirado no Brasil – mais um post dessa série que lancei semana passada, onde toda terça teremos um post de café da manhã que nos conecta com os hábitos da nossa gente. Hoje foi dia do absolutamente paulistano: Pão na chapa com pingado! E ainda 2 versões de pão na chapa: tradicional e com queijo cremoso tostado.

Nas “padocas” de São Paulo o velho pão na chapa com pingado (café com um pequena dose de leite) é um clássico que inicia o dia de muitos paulistanos.

Pão na chapa tradicional:

Não é muito comum, mas gosto de fazer com toque de azeite junto com a manteiga, fica incrível! Sem segredos: manteiga e azeite (cerca de 1 colher de sopa de cada para cada 1 pão) e 1 pitada de sal. Quando derreter, coloque o pão e pressione, achatando ele, até dourar.

Pão na chapa com queijo cremoso tostado:

Passe no pão algum queijo cremoso grosso à gosto (requeijão, normalmente aqueles de bisnaga são ótimos pra isso, sabe?). Aqui usei o emocionante queijo cremoso fundido de gorgonzola. Leve para tostar na frigideira já quente. Pressione de leve apenas um pouco, deixe uns 2/3 minutos – até criar uma casquinha maravilhosa do queijo.

O pingado é um café com “pingos” de leite – pra ter mais café que leite. Aqui usei o representativo cafezinho do Brasil da @nespresso.br , já que é de Brasil que a gente tá falando, né?

Na #cafedeterçadobrasil no Instagram você vai achando todos os posts da série!

Como fazer ovo benedict!

Um clássico que todo mundo pensa que é francês mas na verdade é americano! O nome homenageia um famoso executivo da Wall Street, Lemuel Benedict, que pediu que fosse feito um prato com ovos, presunto e molho hollandaise para curar uma ressaca numa manhã qualquer – vindo de uma solicitação cura ressaca, o prato ganhou fama e tem uma combinação que é impossível não amar – Um pão fofo, presunto, ovo poché e molho hollandaise! Socorro… é uma ousadia de tão bom. Vem comigo te ensino essa receita onde o ovo (meu ingrediente preferido) é protagonista!

Abaixo tem a receita escrita, mas eu te sugiro muito que assista o video que fiz dessa receita, onde mostro o passo a passo detalhadamente, as chances de você acertar aumentam muito! Clique aqui e veja o video lá no meu Instagram @rodrigo.vilasboas, está no meu IGTV!

Para fazer ovo benedict, você precisará, por porção, do seguinte:

  • Molho hollandaise (à vontade)
  • 1 ovo poché
  • 1 fatia de pão fofo (brioche é o melhor)
  • 1 fatia de presunto (cru ou cozido) ou também pode ser bacon
  • Manteiga

Clique aqui e veja como fazer um molho hollandaise perfeito!

Clique aqui e veja como fazer um ovo poché perfeito!

Após ter esses dois preparos prontos, é só montar seu ovo benedict:

Passe manteiga na fatia do seu pão e coloque o presunto, depois o ovo poché e regue com uma generosidade de molho hollandaise! Prontinho! Seja muito feliz comendo!

Bon appétit!

Falando em ovos, onde você compra os seus? O que acontece com as galinhas que os produzem? Eu compro ovos de galinha de vida digna – Clique aqui e veja um artigo onde falo um pouco disso.

Como fazer Burrito!

Burrito sensual com muito ritmo latino ai ai ai. No frio eu amo comida intensa, com emoção, tempero e pimenta – daí que eu fico muito arriba e faço muita comida mexicana. Sempre colorida e muito carregada de sabor, ela é meu cobertor no inverno, aquece mesmo – gosto com muita pimenta, para sentir a emoção e calor mexicano correndo nas veias da carne e nas vias do espírito – a legenda dramática é de propósito pra fazer sentido afinal estamos no México, Carlos Daniel. Arriba nos latinos e cai na pimenta, é bom. This girl is on fire.

Ingredientes (para 7 burritos):

  • 7 tortilhas (uso Rapidex, é bom e dá certo)
  • Meia cebola picada
  • Azeite de oliva extra virgem
  • 2 dentes de alho esmagados
  • 500g de carne moída
  • Cominho em pó, páprica, pimenta-do-reino, pimenta caiena, açafrão e sal (tudo à gosto)
  • 3 tomates picados (bem maduros)
  • Coentro e salsinha frescos picado
  • Queijo (o que preferir) – cheddar ou muçarela ficam bons
  • Uma receita de guacamole (clique aqui e veja como fazer)

Modo de preparo:

Em uma panela em fogo médio aqueça umas 3 colheres de sopa de azeite, acrescente a cebola e uma pitada de sal – após 1 minuto coloque o alho e frite. Coloque a carne e todos os temperos, refogue até a carne cozinhar por completo. Então coloque o tomate e acerte o sal. Deixe o tomate cozinhar por completo e liberar uma cremosidade na carne (se isso não acontecer, coloque um pouco de extrato de tomate – esse recheio tem que ficar cremoso, não liquido, cremoso). Coloque uma pitada de açúcar. Reserve.

Doure as tortilhas em uma frigideira para que fiquem levemente crocantes (siga as instruções da embalagem que comprar). Então Monte o burrito: Em cada tortilha coloque o recheio de carne, uma colherada de guacamole e queijo. Se for dos meus coloque um molho de pimenta junto. Enrole formando um cilindro e prontinho! Seja feliz comendo.

Como fazer um “pão com ovo” emocionante. 

“Pão com ovo”. É só pão com ovo. Mas é um pão marcante feito por pessoas e não por máquinas, que cortei e passei uma manteiga de verdade. Daí na sequência coloquei no meio um ovo de galinha que vive solta e feliz (lá no sítio da minha madrinha em Itu – SP). Então por cima coloquei pedacinhos de queijo manchego, porque eu amo queijo manchego, mas você pode colocar qualquer queijo meia cura que você ame, o amor é livre. Leve para um forno pré-aquecido à 190 graus e deixe até o ovo ficar no ponto que você goste. Quando tirar, finalize com algo que dê um perfume quase sensual para o prato – eu usei @azeitegallo (o colheita ao luar). Você entendeu essa receita? Entendeu o quão bonito é elevar ingredientes simples ao melhor que podem ser? Pra mim poucas coisas superam um pão honesto com um ovo em seu ponto glorioso acrescido de um queijo bom e algum perfume (que pode vir de ervas ou de um azeite). Uma refeição marcante pode ser pão com ovo, desde que você seja capaz de entendê-lo e construí-lo assim. Boa semana!

Como fazer bruschetta de abobrinha com hortelã e aprender algo sobre a generosidade de combinar certo as coisas da natureza. 

Modo de preparo:

A combinação certa honra tudo, é lindo. Tempere abobrinhas cortadas em lâminas com folhas de hortelã, sal, pimenta, limão siciliano, azeite e gentileza. Deixe descansar, para que tudo se aproxime e se encontre direito, 20 minutos está bom. Depois é só cobrir com isso um pão maravilhoso tostado na manteiga. Um queijo forte por cima deixa mais incrível ainda, se for pecorino então, eu choro. A combinação certa honra tudo, é lindo. E para coroar essa experiência, um azeite bom que você confie faz o sabor ficar cravado na sua alma, memorável, mesmo. Aprendi essa combinação honesta e boa no livro mais emocionante que tenho degustado, o “Todas as sextas”, da Paola Carosella. Enfim, bon appétit.

Como fazer Croque-monsieur – Um elegante e típico francês!

Croque-monsieur jamais será apenas um sanduíche, apesar de ser um sanduíche. Ele foi o primeiro clássico francês que fiz na vida, há muitos anos. Era uma sexta a noite, eu ainda era tão jovem, ainda não sabia tanta coisa (não que eu saiba tanto agora, mas sei um pouco mais). Eu não sabia ainda o quanto a gastronomia francesa ganharia espaço na minha vida – era um tempo que eu estava buscando para onde andar exatamente. A cozinha ajuda a gente a aprender coisas valiosas. Aprendi naquele tempo à primeiro olhar algo, mesmo que de longe, e depois ir ao seu encontro. Enfim. Croque pra mim tem um gosto de frescor, inicio, sonhos e começo – porque eu era assim quando ele entrou na minha vida. As horas da vida sempre tem um gosto.

Muito comum nos cafés e restaurantes da França, ele tem todo um gosto de aconchego, de abraço e conforto – Aliás, acredito fielmente que tudo que tem béchamel faz a gente se sentir abraçado, é quase uma lei de Newton isso. O croque tem charme, tem béchamel, muito queijo, muitos crocantes, tem muito de Paris e é um francês de tirar qualquer mau humor da gente.! E não tem nada de difícil em fazê-lo. Abaixo a receita que compartilho com muito afeto e memória – seja feliz fazendo, e bon appétit!

Ingredientes:

Antes de listar os ingredientes gente, uma observação: Não limitaremos quantidades porque isso vai depender de quantos sanduíches você irá fazer. Ao longo da receita e durante a montagem do sanduíche daremos sugestões de quantidades, mas cada um pode colocar o tanto de queijo que quiser ou o tanto de molho que quiser, porque somos livres! Agora vamos ao que você irá precisar:

  • Pão cortado em fatias (pode ser de fôrma, eu prefiro sempre artesanais, e quando é possível sempre opto por brioche).
  • Manteiga
  • Mostarda Dijon (Se não tiver pode ser mostarda comum)
  • Queijo Gruyère (Esse tipo de queijo tem um tom doce que combina demais com essa receita! Porém se você preferir pode usar outro queijo, como mussarela ou parmesão).
  • Presunto (do tipo que você preferir).
  • Molho béchamel (Espera que já mostramos a receita desse molho!)

Modo de preparo:

A primeira coisa a fazer é seu molho béchamel! Você descobre como fazer o molho béchamel clicando aqui. Com essa receita de molho béchamel você consegue fazer até 4 sanduíches, se for precisar para mais faça mais de uma receita. Depois de pronto reserve o molho. Agora você irá tostar o seu pão – para cada sanduíche você precisará de 2 fatias. E existem dois jeitos de tostar: Passar um pouco de manteiga e colocar naquelas torradeiras eletricas ou passar manteiga nas fatias e tostar na frigideira, você que escolhe. Feito isso, é hora de começar a montagem do sanduíche, siga a seguinte ordem:

  1. Pegue uma das fatias e passe um pouco da mostarda (bem pouquinho).
  2. Coloque a quantidade desejada de presunto (uma fatia grande já está bom)
  3. Coloque uma camada de molho béchamel (cerca de 1 à 2 colheres de sopa)
  4. Coloque a quantidade desejada de queijo (se você ralar o queijo fica melhor, mas pode colocar como preferir)
  5. Passe mostarda na outra fatia de pão e coloque por cima de tudo.
  6. Então passe mais uma camada de molho béchamel
  7. E para finalizar, coloque mais queijo por cima.
Todas as fases da montagem do Croque-monsieur, e a última imagem é ele já assado!
Todas as fases da montagem do Croque-monsieur, e a última imagem é ele já assado!

Pronto! Agora é só levar seu croque-monsieur para tostar no forno pré-aquecido à 200 graus, por cerca de 15 à 20 minutos (ou até que o queijo de cima comece a dourar). Depois é só servir! Olha que lindo que fica:

Bon appétit!

Ovo assado no ramequim e pão na chapa com mozzarella de búfala e crisp de presunto. 

Ovo que foi ao forno em um ramequim untado com manteiga, depois de uns 15 minutos à 200 graus saiu dele com uma gema mole extremamente sedutora e foi gentilmente ressaltado com pequenos toques de flor de sal. Pão na chapa com mozzarella de búfala e crisp de presunto. Para ter o crisp é só ressecar o presunto no forno até ficar crocante. Não há nada demais com esse prato, mas eu o amo. Uma tarde de sábado se tornou mais gentil e interessante com ele e com Julia Roberts dando um sorriso de Monalisa na tela da minha tv enquanto eu mordia um pedaço do pão. A vida tem dessas coisas pra acontecer, calmamente, num sábado a tarde. Ainda bem. Parece pouco e simples, talvez,  mas é bom de vez em quando amar o simples, o detalhe, o singelo. É realmente bom.