Como fazer mascarpone!

Um queijo de origem italiana, meio adocicado, todo cremoso e com cerca de 70% de gordura – o que faz dele um grande amigo para atingir consistências emocionantes nas sobremesas. É o principal ingrediente do tiramisù e pode ser usado para dar uma cremosidade carinhosa em muitos preparos, como no crème brûlée. Ele é mais simples de fazer em casa que achar nos mercados, vou provar:

Ingredientes:

  • 500g de creme de leite fresco
  • 3 colheres de sopa de caldo de limão

Modo de preparo:

Leve o creme de leite ao fogo médio em uma panela bonita que você goste (Paola Carosella me fez ver que é especial quando gostamos de nossas panelas), quando ele levantar fervura acrescente o caldo de limão e cozinhe por 5 minutos mexendo sem parar. Imagine o ácido do limão cortando o leite e o transformando em queijo, entenda a beleza disso. Após isso desligue o fogo. Coloque uma peneira em uma vasilha e cubra ela com um coador de papel resistente ou com aqueles panos de malha fina de escorrer queijo. Despeje a mistura da panela na peneira e deixe 3 horas em temperatura ambiente e depois uma noite na geladeira, para o soro escorrer. Pronto. Ele fica assim que nem o da foto, rindo pra você e te contando o quanto fazer em casa é libertador.

Anúncios

Receita de risoto de arroz negro com camarão e tomilho!

É tecnicamente impossível não amar arroz negro com camarão, um par romântico que deu mais certo que Julia Roberts e Richard Gere em “Uma linda mulher”! O Arroz negro tem uma intensidade, um caldo escuro e forte que brilha e encanta em aparência e sabor. O camarão traz um tom de mar para o caldo desse risoto que faz toda diferença, e o tomilho coroa essa estrela. Extrair a essência genuína de cada ingrediente e combiná-los de modo que um respeite a composição do outro, não se agridam nem se destruam, mas se combinem com harmonia, coerência e gentileza. As ofertas da natureza são imensamente exuberantes, quantos presentes nos dão. Esse risoto é mais fácil do que parece, e nos eleva de alguma maneira. Vem aprender!

Ingredientes (Para 4 pessoas):

  • 450g de arroz negro
  • 300g de camarão (limpo, sem cabeça, descascado).
  • 3 colheres de sopa de manteiga
  • 2 dentes de alho triturados
  • Meia cebola grande cortada em cubos
  • Azeite de oliva à gosto
  • Sal à gosto
  • Pimenta-do-reino à gosto
  • Tomilho fresco à gosto
  • Caldo de meio limão
  • 300 ml de vinho branco
  • Aproximadamente 1,5 litros de água
  • Pimenta rosa à gosto
  • 100g de creme de leite.

Modo de preparo:

Primeira coisa: Tempere em uma vasilha os camarões com sal, pimenta-do-reino, azeite e limão. Vamos dourá-los! Coloque uma frigideira no fogo, quando ela estiver quente coloque azeite, e então coloque os camarões. Doure eles, sem deixar passar muito tempo para que não fiquem secos. 30 segundos antes de desligar a frigideira coloque 1 dos dentes de alho triturado e misture para fritar o alho. Desligue o fogo e reserve.

Próximo passo: Vamos amolecer um pouquinho o arroz negro. Coloque para ferver toda a água em uma panela grande, acrescente uns 3 raminhos de tomilho, um pouco de azeite e sal. Quando começar a ferver acrescente o arroz negro e deixo-o cozinhar ali com a tampa fechada por 10 minutos – não queremos que o arroz cozinhe por completo, apenas queremos amolecer ele um pouco para que o preparo do risoto fique melhor. Após dez minutos escorra o arroz e o separe do caldo – MAS NÃO DESCARTE  O CALDO, ele será o caldo de cozimento do risoto. Reserve o arroz pré-cozido e transfira o caldo para uma panela ou caneca grande, leve de volta ao fogão mas em fogo baixíssimo. Acrescente um pouco mais de sal (experimente para verificar), a pimenta rosa, mais uns raminhos de tomilho, um pouco de azeite e o dente de alho restante.

Sabe a frigideira que você dourou os camarões? Pegue uns 5 camarões e coloque nesse caldo, então tire o restante dos camarões da frigideira e reserve eles. Deglaceie a frigideira: ligue o fogo da frigideira rapidamente, pegue uma concha do caldo do arroz que está na panela, coloque na frigideira e deixe ferver uns instantes, mexendo para soltar todo o sabor do fundo da frigideira. Então despeje essa mistura da frigideira de volta na panela do caldo – você acaba de acrescentar um sabor incrível ao caldo do seu risoto. Mantenha o caldo em fogo baixo para uma boa extração de sabor, sem deixar ferver. Quando o caldo já estiver no fogo nesse processo uns 10 minutos você inicia o preparo do risoto.

Leve uma panela grande ao fogo (pode ser aquela que você ferveu o arroz por 10 minutos, mas seca e limpa), coloque 1 colher de manteiga, ao derreter coloque a cebola e uma pitada de sal, cozinhe por 1 minuto. Em seguida acrescente o arroz pré-cozido, mexa por 1 minuto e meio e em seguida acrescente o vinho branco, mexa até evaporar. Então vá acrescentando aos poucos o caldo que preparou. Sempre coloque umas 2 conchas por vez e fique mexendo até evaporar, só depois que evaporar coloque mais novamente. Vá fazendo esse processo até que o arroz atinja o ponto desejado – o arroz negro fica mais durinho que o arroz tradicional de risoto, é normal.  Atingindo o ponto desligue a panela, se necessário acrescente um pouco mais de caldo para que fique úmido (não muito para não aguar). Acrescente o restante da manteiga, o creme de leite e os camarões que você dourou (deixe apenas alguns para decorar o risoto na hora de servir).Verifique o sal.

Prontinho! Sirva na hora, decore com camarões e despeje um pouco de azeite por cima deles ao servir, se quiser por um raminho de tomilho por cima (que nem eu fiz) para ficar charmoso, fica charmoso. #risos.

Obs: Para atingir o ponto que gosto do risoto – arroz molinho mas consistente – usei 1,5 litros de água para fazer o caldo. Faça uns 2 litros para garantir que você terá caldo para deixar o arroz no ponto que te agrade. Se sobrar pode congelar e guardar para usar outro dia.

Bon appétit!

Receita de Nhoque de Batata-doce!

Jatica (que em tupi-guarani significa “fruto enterrado”). Batata-doce. Ipome batatas. Ela adocica nosso paladar de uma forma tão gentil, que tem algo de hipnotizante no sabor dela. Nhoque de batata-doce é um dos meus pratos prediletos. Porque batata-doce está nos traços culturais da nossa história, está nos hábitos mais antigos da minha família, é um alimento muito generoso com a nossa saúde e tem um sabor encantador. Que bom ter batata-doce na nossa existência, a vida é um pouco mais feliz com ela. Aprenda a fazer esse nhoque simples e sensacional. Melhor coisa, sério. Vem fazer e adocica sua vida, meu amor. (Abaixo também dou umas dicas de molhos para acompanhar, mas na foto comi ele apenas com azeite de oliva bom, flor de sal, castanha-do-pará e coentro, minha gente, é bom de um jeito que nem dá pra dizer).

Ingredientes:

  • 1kg de batata-doce
  • Aproximadamente 250g de farinha, o que dá 1 xícara e meia (de trigo normal ou de arroz, eu gosto da de arroz)
  • 3 colheres de sopa de polvilho doce
  • 1 ovo
  • Uma pitada de sal

Modo de preparo:

Cozinhe a batata com casca – corte em pedaços menores para não demorar tanto. Mas não em tão menores para não prejudicar o amido, corte ao meio no máximo em três partes cada batata. Cozinhe no vapor ou em uma panela com água. Eu prefiro no vapor. Depois de cozida tire a casca e amasse toda a batata em uma vasilha grande, fazendo um purezinho. Então acrescente o ovo, a pitada de sal e o polvilho, comece a mexer e vá acrescentando a farinha aos poucos, até obter uma massa homogênea (a quantidade total de farinha depende da umidade, acrescente um pouco mais ou um pouco menos se achar necessário). Não coloque muita farinha, o nhoque é uma massa sensível e molinha mesmo. O segredo do bom nhoque é ter muito mais batata que farinha.

Feito isso, esfarinhe uma superfície e pegue um pedaço da massa e faça rolinhos, cilindros, depois vá cortando os pedaços (pedaços de 2cm são o ideal) – lembre-se de sempre que precisar polvilhar farinha para não grudar, a massa é úmida e bem sensível, gruda fácil, conforme for cortando polvilhe farinha nos pedaços e procure não sobrepor um pedaço no outro, para evitar que grude. Feito isso gente, já ta pronta sua massa de nhoque! Agora é só cozinhar: Ferva água, então coloque os pedaços de nhoque na água fervente, quando subirem a superfície é porque já cozinhou – não deixe passar do ponto, subiu já tira da panela e escorra, é uma massa fresca sensível! Se passar fica molengo demais! Escorra e sirva com o molho de sua preferência!

Seja feliz nesse sabor incrível que o nhoque de batata-doce tem! Seguem abaixo algumas sugestões de molho para acompanhar (clique no link para acessar a receita):

Receita de molho de tomate rústico

Receita de molho de manteiga e sálvia

Molho de cogumelos com vinho branco

Molho de laranja e vinho branco

Molho de laranja e tomilho

Clicando aqui você também confere a receita do tradicional nhoque italiano! Que já ensinei por aqui também! 

Receita: Molho de tomate rústico com linguiça toscana!

20150813_211318

Artesanal – feito com a mão, produção humana, nossa alma direto no contato com a natureza, transformando-a. Fazer em casa molho de tomate ao invés de comprar pronto é um exercício de encontro com o mundo natural que fazemos parte – na era industrial e instantânea, fazer em casa a refeição, de forma lenta e intensa, é um ato revolucionário. Compre tomates, transforme-os em molho. Essa receita é simples, um bom molho rústico que respeita a totalidade do tomate, acrescido de linguiça toscana – explosão de sabor autêntico! Uma boa massa com esse molho é emocionante e protagoniza qualquer refeição. Vem ver!

Obs: Receita para usar em aproximadamente 400g de massa, ou para o que você quiser.

Como fazer:

Primeiro: Corte em rodelas a quantidade de linguiça toscana que você quiser no seu molho – para cada receita use pelo menos 2, eu uso umas 4. Doure-as no azeite, para ficarem assim ó:

20150813_180311

Então reserve-as e faça o molho! Clique aqui e siga exatamente essa receita de molho de tomate caseiro simples. Após finalizar essa receita de molho, jogue as linguiças dentro e deixe que fervam juntos em fogo baixo por cerca de 10 minutos (coloque mais água se necessário para não secar muito durante esses 10 minutos). Prontinho! Sirva e seja feliz comendo sua obra artesanal, com sua alma dentro.

20150813_212241

Sugestão: Penne com o molho de tomate rústico com linguiça toscana.

Como fazer Risoto de Funghi

20150301_125605

Cogumelos: suaves mas ao mesmo tempo intensos e marcantes. Os frescos tem mais frescor e os secos mais intensidade e força (Eu amo cortar cogumelos frescos, é um movimento tão suave e harmônico que parece uma dança). Cogumelos são surpreendentes, eles tem algo de mistério na sua aparência e sabor – a natureza traz sensações lindas em suas composições engenhosas.  E poucas coisas combinam tanto com risoto como cogumelos! Essa receita é fácil e deliciosa, vem ver!

Ingredientes:

  • 2 xícaras e meia de chá de arroz arbóreo
  • 100 gramas de funghi secchi, (pode usar a variedade que quiser de funghi,os desidratados são mais intensos, mas pode ser fresco também, eu usei Shitake, cerca de uns 2 grandes).
  • Meia cebola grande picada em cubos ou 1 pequena
  • Uma xícara de chá de vinho branco seco
  • Aproximadamente 5 xícaras de chá de caldo de legumes (Se for usar de cubos, dissolva 2).
  • 4 colheres de sopa de manteiga (Nem pensar substituir por margarina, clique aqui e saiba o porque).
  • 4 colheres de sopa de queijo parmesão ralado e mais um pouco para usar na hora de servir.
  • Sal à gosto (Eu acho suficiente o sal do caldo, porém prove, se achar necessário acrescente em sua receita umas pitadas de sal).
IMG_20150302_203708

Cogumelos Shitake

Modo de preparo:

A primeira coisa é hidratar o cogumelo. Corte o funghi (no caso do shitake, cortei em tiras) e coloque em água morna por uns 20 minutos. Se preferir pode hidratar com um pouco de vinho branco (meio copo comum basta).

20150301_115558

Ferva o caldo de legumes em uma panela e depois mantenha em fogo baixíssimo, apenas para mantê-lo quente. Coloque 2 colheres de manteiga em uma panela grande (onde irá preparar todo o risoto, precisa ser espaçosa), em fogo médio, e assim que ela derreter coloque a cebola, refogue até ela ficar reluzente (uns 3 minutos).Então acrescente o arroz e vá mexendo ele na panela, por uns 3 minutos. Acrescente então o vinho e mexa sem parar até ele evaporar.

IMG_20150302_211051

 Escorra a água do funghi e junte ele na panela, refogue por uns 3 minutos.  Coloque então cerca de 1/3 do caldo e continue mexendo. Quando começar a secar e a consistência ficar cremosa, acrescente metade do caldo restante, e continue mexendo até ir secando novamente. Depois vá colocando a última parte do caldo aos poucos, checando o ponto do risoto, vá colocando o necessário para atingir o ponto exato, que é quando o arroz fica parte macio parte durinho e úmido.

Quando chegar nesse ponto desligue a panela e acrescente as outras 2 colheres de manteiga e as 4 colheres de queijo parmesão ralado, e sirva em seguida!  Aspargos frescos cozidos acompanham lindamente esse prato!

20150301_125640

Bon appétit… ah não, hoje é Buon appetito!

Como fazer Molho de Manteiga e Sálvia (Perfeito para Nhoque)!

O molho de manteiga e sálvia se resume em fritar as folhas de sálvia na manteiga. Parece simplérrimo e pouco interessante para alguns, mas esse é o tipo de encontro absolutamente perfeito. A manteiga fica completamente perfumada e intensa e a sálvia fica crocante. Banhar uma massa com esse molho é mais que suficiente para uma experiência incrível. Sobre a poesia do simples, sobre encontros singelos que entregam muito mais do que podíamos esperar.

Para fazer o molho você precisará de apenas:

  • 4 colheres de sopa de manteiga
  • 16 folhas de sálvia fresca

Para fazer: Coloque a manteiga em uma frigideira em fogo médio. Quando ela estiver derretida por completo adicione as folhas de sálvia e deixe fritar – até as folhas ficarem sequinhas e crocantes e a manteiga atingir um tom castanho – mas não marrom! Prontinho!

IMG-20160326-WA0005

Esse molho fica maravilhoso para regar um nhoque fresquinho feito em casa artesanalmente por você, e basta você clicar aqui sem medo e ver a receita de massa de nhoque que eu ensino a fazer, é mais simples do que você imagina e te fará muito feliz.

IMG-20160326-WA0015

Como fazer Nhoque! – Il vero Gnocchi Italino!

IMG-20160326-WA0004

Nhoque fresquinho servido com molho de tomate caseiro – abaixo tem o link para aprender a fazer esse molho incrível também!

Gnocchi! – Nasceu na cozinha pobre italiana, sendo uma herança positiva dos períodos de guerra, onde a escassez exigia que as pessoas criassem refeições com poucos ingredientes. Assim como a baguete francesa (o pão do povo) o nhoque na Itália surge diante da necessidade de alimentar a família com o que se tinha. Ao longo da história ele se sofisticou, ganhou as batatas, e sua fama ganhou o mundo. Como não amar um nhoque totalmente artesanal, feito em casa pelas suas mãos com amor e humanidade? Como não amar descobrir que essa belezinha é mais fácil de fazer do que parece? Pois é, temos muito para entender sobre o quanto fazer em casa ao invés de comprar pronto pode ser transformador! Lembrando a lei da vida: Nhoque bom tem muito mais batata que farinha de trigo! Com essa informação tudo dará certo!

Ingredientes:

  • 1kg de batatas (as amarelas, mais comuns de encontrar nos mercados no Brasil).
  • 200g de farinha de trigo
  • 2 gemas
  • Sal e pimenta-do-reino à gosto
  • 1 pitadinha de noz-moscada ralada
  • 1 colher de chá de manteiga
  • 2 colheres de sopa de parmesão ralado (o queijo é totalmente opcional!)

Modo de preparo:

Comece descascando as batatas e as colocando para cozinhar – se preferir pode por para cozinhar primeiro e depois descascar, como quiser. Cozinhe em água fervente ou no vapor. Quando estiver totalmente cozida, escorra, coloque em um recipiente e amasse, fazendo um purê. Em seguida, faça um buraquinho no meio do purê e acrescente a farinha, a manteiga, as 2 gemas, o sal e a pimenta, a noz-moscada e o parmesão (se for usar). Misture tudo, fazendo movimentos circulares de dentro para fora, amasse até obter uma massa homogênea. Esfarinhe uma superfície e pegue um pedaço da massa e faça rolinhos, cilindros, depois vá cortando os pedaços (pedaços de 2cm são o ideal) – lembre-se de sempre que precisar polvilhar farinha para não grudar, a massa é úmida e bem sensível, gruda fácil, conforme for cortando polvilhe farinha nos pedaços e procure não sobrepor um pedaço no outro, para evitar que grude. Feito isso gente, já ta pronta sua massa de nhoque! Agora é só cozinhar!

IMG-20160326-WA0015

Ferva água, então coloque os pedaços de nhoque na água fervente, quando subirem a superfície é porque já cozinhou – não deixe passar do ponto, subiu já tira da panela e escorra, é uma massa fresca sensível! Se passar fica molengo demais! Escorra e sirva com o molho de sua preferência! Eu ensino aqui no blog a fazer um molho de tomate rústico caseiro que fica MARAVILHOSO com esse nhoque! Clica aqui e confira a receita!

IMG-20160324-WA0080

Essa receita serve umas 6 pessoas, caso sobre você pode congelar a massa crua (já cortada nos pedaços em formato de nhoque) para preparar outro dia! Enrole-a em um papel filme ou guarde em um pote bem fechado, depois leve ao congelador.

Buon appetito!

Como fazer Bruschetta de Tomate-cereja com Manteiga Queimada!

IMG-20160501-WA0004

Bruschetta é prato de fazer no comercial da novela de tão rápido! E pra mim sempre tem um tom sofisticado, de personalidade – como coisas simples e bem feitas costumam ter. Experimentei fazer outro dia tostando as fatias de pão italiano na frigideira  com manteiga – deixando atingir um ponto em que a manteiga queime um pouco. Fica ENACREDITÁVEL gente! E o tomate-cereja adoça sutilmente a força do pão e da manteiga queimada – eu não sei explicar essa bruschetta de uma forma que chegue tão próxima dos suspiros de amor que ela proporciona, sério. Vamos a receita!

Ingredientes:

  • Pão Italiano cortado em fatias (fatias com cerca de 1,5cm).
  • Tomates-cereja cortados ao meio (a quantidade varia de acordo com o tanto de bruschetta que você irá fazer, para 500g de pão italiano, use cerca de 300/400g de tomate-cereja)
  • Meia cebola média picada
  • 1 dente de alho amassado
  • Sal à gosto
  • Pimenta-do-reino à gosto
  • Azeite de oliva – o quanto bastar
  • Manteiga – o quanto bastar
  • Queijo parmesão ralado à gosto

Modo de preparo:

Aqueça uma panela média e coloque cerca de 3 colheres de sopa de azeite. Junte a cebola e o alho e refogue por uns 2 minutos. Ouça o barulho da cebola fritando e sinta isso como uma música. Cheire a cebola fritando e permita-se experimentar a alquimia do aroma – a poesia tem que fazer parte. Após isso, acrescente o tomate-cereja, o sal e a pimenta-do-reino. Refogue por mais uns 2 minutos no máximo – não deixe o tomate-cereja despedaçar, o mantenha inteiro!

Pré-aqueça o forno à 200 graus. Aqueça cerca de uma colher rasa de sopa de manteiga em uma frigideira, quando ela já estiver derretida por completo coloque as fatias de pão italiano para tostar na manteiga – vire as fatias quando estiver dourado de um lado, para dar uma leve douradinha do outro lado também. Faça isso com todas as fatias de pão italiano – ao entrar em contato com a manteiga o pão suga boa parte dela, e o pouco que fica em contato com o calor da frigideira acabada “queimando” de um jeito bom, que fortifica o aroma da manteiga e invade o pão! Mas fique de olho para não queimar, tosta super rápido!

Feito isso, coloque as fatias de pão tostado em uma forma e divida o tomate-cereja refogado nelas, rale parmesão por cima e leve ao forno por cerca de 5 minutos. Pronto! Suspire e seja feliz comendo!

Como fazer a verdadeira massa de pizza italiana! Melhor receita!

 

20160226_202017

Os vestígios históricos de um prato sempre trazem a história da civilização humana em sua composição. Há 6 mil anos, no antigo Egito misturaram farinha e água – O inicio do que viria a se tornar o alimento mais popular no mundo. Os gregos também passaram a fazer massas à base de farinha de trigo, arroz e grão-de-bico e assaram em tijolos quentes. Um tempo depois essa “massa” virou um alimento muito comum no sul da Itália, principalmente para pessoas muito pobres, visto sua simplicidade de preparo – a massa sempre foi o alimento de todas as “massas”. Só então mais tarde, em Nápoles, passaram a acrescentar molho de tomate e orégano na massa, os mais ricos também colocavam queijo e pedaços de linguiça, daí então nascia “a vera napoletana”, a pizza. Farinha, água, fermento, azeite e sal – é o que você precisa para fazer a verdadeira pizza italiana! Veja abaixo a receita da melhor massa de pizza que você já experimentou!

Ingredientes:

  • 1Kg de farinha de trigo
  • 600ml de água morna
  • 6 colheres de sopa de azeite de oliva
  • 2 colheres rasas de sopa de açúcar
  • 25g de fermento biológico
  • 20g de sal

Modo de preparo:

Coloque a farinha em uma tigela grande, depois que despejar a farinha, faça um buraco no centro. Em um recipiente pequeno (de vidro, pode ser um copo), coloque um pouco da água morna,  acrescente o fermento e o açúcar e dissolva tudo muito bem, então coloque essa mistura no centro da farinha.

IMG-20150705-WA0052

O fermento é poesia. 

Agora, em um outro recipiente de vidro (outro copo), coloque mais um pouco da água morna, adicione o azeite de oliva extra virgem e o sal e acrescente também na mistura da farinha, então comece a misturar tudo, primeiro com uma colher de pau, até o liquido se incorporar mais, depois com as mãos.

Acrescente o restante da água e vá amassando – Mantenha perto de você um pouco de farinha e água morna, para trabalhar a massa da pizza até atingir a consistência desejada, que deve ser macia e elástica (dependendo da farinha utilizada e da umidade dela, pode ser que se use menos ou mais água). Sove, coloque ar na massa – por pelo menos 6 minutos – a massa deve ficar macia e elástica, não pode ficar seca, é muito importante para que ela abra da forma adequada e fique correta! Então não exagere na farinha para não estragar a umidade da sua massa!

Quando terminar de trabalhar a massa faça uma bola com ela, polvilhe uma tigela grande com farinha e coloque a massa dentro, cubra com um pano úmido e meio morno (umedeça um pouco um pano de prato e coloque no microondas uns segundinhos que você terá um), e então deixe descansando por 1 hora ou 1 hora e meia em um ambiente sem correntes de ar (um forno desligado, por exemplo).

Depois do descanso está pronta! Daí é só abrir seus discos de pizza. Separe a massa em bolas (cada uma será um pizza), o tamanho depende de você. Então polvilhe um pouco de farinha onde for abrir a massa e comece, com um rolo, a abrir ela, do centro para as bordas. Se sua massa estiver na umidade certa será fácil abrir, naturalmente a bordas vão ficando com mais massa e o centro mais fino. Deixe a massa na espessura de seu desejo – para uma pizza de massa mais fina ou grossa.

Após abrir sua massa, antes de rechear, asse ela em forno pré-aquecido à 200 graus por cerca de uns 8 ou 10 minutos – não muito, apenas para pré-assar. Depois tire do forno e recheie ela a seu gosto! A minha preferida é a emocionante Margherita! E eu tenho a receita do melhor molho de tomate caseiro do mundo para você por na sua pizza e ter em casa a vera napoletana! Clique aqui e veja a receita dele! Coloque esse molho de tomate, queijo e após assar manjericão e sinta o sabor de Napóles!

Buon appetito!

20160226_202436

IMG-20150705-WA0017

Fazer molho de tomate caseiro em casa significa aprender.

20150823_110643

Tomates – A magnitude da natureza no ingrediente. 

Tanto falo sobre fazer em casa algo que quase sempre compramos pronto – O valor dessa experiência é compreender e construir com suas mãos os mágicos processos de transformação do alimento, cozinhar um ingrediente do inicio ao fim é experimentar de algum modo a magnitude da natureza que fazemos parte. Tempo nos falta às vezes para nos dedicar ao preparo de alimentos, mas se soubéssemos tudo que compõe essas experiências, arrumaríamos mais tempo para mergulhar na arte, no amor, na lição e no crescimento pessoal que cozinhar constrói. Ofereço aqui uma receita de molho de tomate caseiro, que faço com respeito à natureza orgânica do ingrediente, à natureza que somos parte. Compre tomates hoje, e não o extrato industrial. Clique aqui e acesse a receita do molho de tomate caseiro.