Petit Gateau fácil de micro-ondas

Petit Gateau de micro-ondas – eu sei que te ensinam muita receita de 2 minutos falsiane por aí que é uma tristeza, mas essa é boa de verdade, acredita em mim. Tem dias que estamos vivendo emoções gostosas fora da cozinha (tipo vendo um filme, conversando com quem amamos ou gastando nosso sagrado tempo com coisas que dão sentido pra vida), e aí ter uma receita simples em mente pra complementar esse momento é importante, sincero, e bom. Vem ver essa receita fácil, boa e bela.

Ingredientes:

  • 4 colheres de sopa de chocolate picado
  • 1/2 colher de sopa de manteiga
  • 1 colher rasa de sopa de açúcar
  • 1 colher de sobremesa de mel
  • 1 ovo
  • 1 colher de sopa cheia de farinha de trigo

Modo de preparo:

Coloque o chocolate e a manteiga em um recipiente que possa ir ao micro-ondas e deixe 30 segundos. Misture até derreter completamente. Junte o açúcar e o mel e misture, então acrescente o ovo e mexa com um garfo até incorporar bem. Junte a farinha de trigo e também incorpore. Agora é só levar ao microondas por 40 segundos – pra mim esse é o tempo ideal pra ficar cremoso como gosto. Sugiro que você deixe 30 segundos e a partir daí vá olhando até ficar no ponto que você ame.

Gosto de colocar um sorvete de palito dentro (como na foto) ou uma bola por cima. Mas puro já é avassalador e bom.

Bolo de laranja da Julia Child (Gâteau à l’orange). Simples, e exatamente por isso, incrível.

Um bolo de laranja simples, mas incrível, pra mim (talvez justamente por ser simples). Ele é bem macio (um “Spongecake”) e suave. Com um chá, ele me emociona. Essa receita mostra que preparos clássicos franceses podem ser mais simples do que pensamos. Aliás, mostrar isso foi a missão de Julia Child no mundo – a mulher que mudou o modo como a América comia na década de 60, tornando a arte emocionante da cozinha francesa possível para qualquer pessoa comum executar, em cozinhas comuns. Te amo Julia, pra sempre. Obrigado.

Abaixo receita escrita, mas clicando no link acima você vê o video da receita no Youtube, e clicando aqui você vê o video no IGTV do meu Instagram @rodrigo.vilasboas

Ingredientes:

Bolo:

  • 2/3 de xícara de chá de açúcar (135g).
  • Mais 1 colher rasa de sopa de açúcar (15g)
  • 4 gemas
  • 4 claras
  • Raspas da casca de 1 laranja
  • 1/3 de xícara de chá de suco de laranja (75 ml)
  • 2 pitadas de sal
  • 3/4 de xícara de chá de farinha de trigo (120g)

Cobertura:

  • 1 lata de leite condensado
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 5 ou 6 colheres de sopa de suco de laranja
  • 2 ou 3 colheres de sopa de licor de laranja (opcional)
  • Raspas de laranja (opcional)
  • Gotas de limão (opcional)
  • Amêndoas em lâminas para finalizar (opcional)

Modo de preparo:

Bata as gemas com o açúcar, na batedeira ou com um fouet, até a atingir ponto de fita (que é quando a massa fica sedosa e clara e você levanta o batedor e a massa cai desenhando formas). Junte o suco e as raspas da laranja e acrescente uma pitada de sal. Misture e então acrescente a farinha de trigo e incorpore ela com uma espátula. Em outro recipiente coloque as claras e uma pitada de sal e bata até atingir picos moles, depois acrescente uma colher de sopa de açúcar e bata até atingir picos duros – clara em neve. Incorpore a clara em neve em 3 partes na outra mistura – com muita delicadeza, com movimentos de baixo para cima, para perder o menor volume possível das claras. Quando tudo estiver incorporado disponha em uma fôrma untada com manteiga e farinha e leve para assar em forno pré-aquecido à 180 graus por cerca de 30 minutos – ou até dourar e você espetar um garfo e ele sair limpo. Dúvidas? Veja o video no Youtube (link acima), tem o passo a passo detalhado.

Modo de preparo da cobertura:

Em uma panela em fogo médio coloque o leite condensado e a manteiga. Cozinhe mexendo sempre até atingir ponto de brigadeiro (quando você passa a colher e consegue ver o fundo e quando o doce solta das laterais quando você inclina a panela). Desligue o fogo e acrescente o suco de laranja, o licor, as raspas de laranja se for usar e as gotas de limão. Misture tudo e incorpore.

Finalize cobrindo o bolo com a cobertura (desenformado, se quiser). Eu gosto de dourar amêndoas em lâminas no forno à 180 graus por uns 5 minutos e finalizar, mas é totalmente opcional.

Risoto de queijo brie e mel com crocante de queijo brie

Fácil e elegante. Combinação linda – queijo brie ama estar junto de algo adocicado, é o date perfeito pra ele. E falando em date, acho essa receita ideal para encontros amorosos, mas também é bonita para fazer e amar a si mesmo. Quantidades abaixo para um risoto que serve 3 pessoas (porque respeitamos também o poliamor, se for seu caso).

Caso queira ver, no IGTV do meu Instagram tem um video com todo o passo a passo completo, só clicar aqui!

Ingredientes:

  • 1 e 1/2 xícara de chá de arroz arbóreo
  • Cerca de 1 litro de caldo de legumes (explico como fazer um abaixo)
  • 1 taça de vinho branco
  • 1 colher de sopa de manteiga mais uma quantidade à gosto (para fazer o crocante de brie e finalizar o risoto)
  • Cerca de 150g de queijo brie (mais uns pedaços para fazer o crocante)
  • Queijo parmesão ralado à gosto
  • 2 colheres de sopa de mel
  • Meia cebola média picada
  • Ervas frescas picadas à gosto (salsinha, cebolinha…)
  • Sal à gosto

Modo de preparo:

Primeiro sobre o caldo de legumes: Quando quero um caldo rápido, fervo por 20 minutos na água: alho-poró, alho, cebola, cenoura picada bem pequena e alguma pimenta (do reino, rosa…), e pronto, tenho um caldo.

Em uma panela coloque 1 colher de sopa de manteiga, acrescente a cebola picada e refogue até ela ficar translúcida. Acrescente o arroz e refogue 1 minuto. Coloque então o vinho e mexa até ele evaporar.

Coloque cerca de 1/3 do caldo e fique mexendo. Quando começar a secar coloque mais caldo e continue mexendo. Repita o processo até o risoto atingir o ponto de seu agrado (tradicionalmente tem que ficar mais durinho – cozido mas ainda rígido (al dente), mas se preferir deixe mais molinho. Quando colocar a última remessa de caldo não deixe secar tanto. Durante essa etapa pode ir colocando ervinhas picadas para ajudar a dar perfume.

Quando o arroz chegar no ponto acrescente o queijo brie e incorpore. Em seguida coloque o mel (cerca de 2 colheres de sopa, mas cheque o tanto de doçura que você quer). Incorpore o mel e desligue a panela. Então coloque o queijo parmesão ralado, misture e finalize generosamente com bastante manteiga – cremosidade e brilho, queremos. Acerte o sal.

O crocante de queijo brie:

Para ter o crocante é só colocar um pouco de manteiga em uma frigideira antiaderente e dispor na manteiga já derretida fatias de queijo brie. Ele irá derreter e se desfazer, quando começar a secar e você notar que tudo virou quase uma coisa só, como uma “placa de queijo” derretido já tostado por baixo, desligue (tem que tostar, mas não queimar). Esfriando um pouco fica firme, aí é só tirar da frigideira e quebrar em pedaços.

Sirva o risoto finalizando com ervas frescas picadas e o crocante de brie. Mas que gracinha.

Bruschetta de brie com cebola caramelizada e mostarda.

Bruschetta onde se junta: queijo brie, cebola caramelizada e mostarda – dessas coisas que parecem que nasceram para estar sempre juntas.

Para caramelizar cebola facinho:

Na frigideira coloque 1 colher de sopa de manteiga e junte 1 cebola pequena cortada em rodelas finas. Vá mexendo e deixe ela cozinhar uns 4 minutos no fogo baixíssimo. Coloque uma pitada de sal e uma colher de sobremesa de açúcar, mexa e cozinhe 1 minuto e então coloque uma colher de sobremesa de molho shoyu. Cozinhe até que engrosse e a cebola esteja macia. Minutos antes de desligar repare no ponto da cebola caramelizando, borbulhando – poucas coisas são tão lindas e perfumadas quanto essa cena – guarde ela pra sempre em você. E ah, ajuste as quantidades conforme sua intuição te disser que precisa (sim, você tem uma intuição e precisa usar mais isso, na cozinha e na vida).

Para montar a bruschetta:

É só colocar sobre fatias de pão pedaços de queijo brie, a cebola caramelizada com seu caldinho e mostarda. Leve ao forno à 200 graus por uns 6/8 minutos (só pra tudo se encontrar mais calorosamente sobre o pão). Pronto.

Sobre a mostarda: Para essa receita mostardas amarelas muito liquidas não servem. Mostarda de Dijon, mostarda em grãos ou escuras são as que servem. Nem sempre podemos improvisar tudo, há emoções que precisam de coisas específicas para acontecer certo. Mas caso não tenha, faça sem. Só o brie e a cebola já emocionam bastante.

Como fazer escargots com manteiga de ervas – e como se ampliar comendo algo que está fora das suas referências culturais.

Escargot, do francês, “caracol comestível”. Coma, algumas vezes, coisas que não fazem parte de suas referências culturais. É uma pena que a gente se encerre nos limites do nosso referencial e olhe pro diferente hora com medo, hora com desrespeito, hora com agressão. Chega perto do mundo que não é igual ao seu e construa descobertas, mais respeito, informação e ampliação pessoal autêntica – se aproximando e dando uma chance para aquilo que é contraste com você. Tanta coisa linda pra sentir e viver e a gente perdido em fobias. Descobre porque você tem medo, pede ajuda, e vai ver que mundo lindo e diverso, meu filho. Eu estou falando de provar escargot, mas também estou falando da vida.

O jeito mais fácil de encontrar escargots por aqui são os em conserva, por isso a receita é com eles. Escolha um de uma marca e origem confiável. Um dos melhores vem da Borgonha, na França, que são colhidos à mão por um povo que os respeita muito, e cria coisas emocionantes com eles.

Ingredientes (para 2 ou 3 pessoas, como entrada):

•Cerca de 15 escargots em conserva escorridos
• 1 taça de vinho branco
• 3 colheres de sopa de manteiga derretida
• 2 colheres de sopa de ervas picadas bem finamente (uso sempre salsinha e cebolinha)
• Sal e pimenta-do-reino preta à gosto
• Algum pão maravilhoso, para acompanhar

Modo de preparo:

Misture bem a manteiga derretida com 1 colher de sopa do vinho branco, as ervas, o sal e a pimenta. Depois de misturar leve pra gelar até ficar consistente. Escorra os escargots e deixe de molho no restante do vinho branco por 10 minutos. Então coloque 1 escargot em cada concha, e acrescente nelas, fechando até o topo, a manteiga de ervas. Arrume as conchas em uma assadeira com uma base de sal grosso (para ajudar a equilibrá-las). Se você não tiver conchas, é só dispor os escargots em um recipiente que possa ir ao forno, mas um pequeno para que não fiquem tão espaçados um do outro, e cubra todos eles com a pasta de manteiga. Então, com ou sem conchas, leve ao forno à 200 graus por 10 minutos. Pronto. Para comer, tira-se os escargots das conchas com garfinhos. Aproveita-se a manteiga que ainda fica nas conchas regando pedaços de pães. É diferente, mas é especial e bom, se você permitir.

Brioche French Toast, Rabanada, Pain Perdu.

Como fazer brioche french toast (também chamada de rabanada ou pain perdu) – Uma poesia à base de manteiga que ajuda a gente a caramelizar tardes cinzas sofridas, nessa vida às vezes legal, às vezes esquisita

No IGTV do meu Instagram @rodrigo.vilasboas tem um video completo com todo passo a passo, se quiser ver só clicar aqui. Lá te mostro inclusive como fazer a camada de caramelo por cima sem precisar de um maçarico.


Numa tarde chata qualquer misture 1 ovo com 1 xícara de chá de leite, 2 colheres de sopa de açúcar e algum perfume de baunilha. Bata bem. Pegue uma fatia de brioche, fure com um garfo e encharque todinha nesse creme que fez. Com gentileza, leve a fatia encharcada para uma frigideira quente com manteiga e frite dos dois lados até dourar (uns 2 min de cada lado). Preste atenção no cheiro da manteiga fritando o brioche – se você não parou para prestar atenção nos cheiros e detalhes, você ainda não entendeu bem a receita – que é sobre a felicidade discreta, escondida na simplicidade do cotidiano, e na manteiga. Assim já fica pronto e suficientemente bom, mas se quiser mais emoção e tiver um maçarico, coloque uma camada de açúcar por cima e toste, sem timidez, até caramelizar bem – eu amo incendiar coisas, me anima muito (tem a ver com mapa astral e com Paola Carosella). Sirva com iogurte, frutas, sorvete ou nada. Aqui servi do meu jeito preferido, com coalhada.

Queime brioches para caramelizações intensas e lindas, não queime as tardes vazias. Não sempre, eu sei, mas às vezes a gente só precisa de 4 ou 5 ingredientes, e as coisas melhoram um pouco. Não é apenas sobre uma rabanada, mas sim sobre o quanto você se propõe. Abraços amanteigados. Essa receita agradeço à Paola Carosella e Julia Child (pessoas que sabem o poder que a cozinha tem em tardes cinzas).

Tomates à provençal.

Tomates à provençal – uma coisa elegante, simples e bonita pra se fazer com tomates (porque tem mais belo no simples do que pode imaginar nossa vã filosofia). A gastronomia francesa tem cada preparo que é fácil, barato e escandalosamente bom, desmistifica, rapaz.

Abaixo receita escrita, mas se quiser no IGTV do meu Instagram @rodrigo.vilasboas tem um video com todo passo a passo detalhado, clique aqui para ver. 

Fácil assim:

Corte tomates que tenham um vermelho emocionante ao meio, tire as polpas com cuidado e gentileza e reserve. Coloque essas metades em uma fôrma e salpique nelas sal, pimenta e azeite.

Para o recheio: misture em uma tigela: farinha de rosca e pão velho esfarelado (ou só 1 ou outro), queijo parmesão (um não tão seco), alho triturado, sal, pimenta e azeite (seja generosx no azeite). Misture. Então você vai picar em pedaços pequenos a polpa que tirou e ir acrescentando aos poucos e misturando, com todo o suco – você precisa de uma textura que seja uma massinha esfarelenta, mas com alguma aderência. Se precisar coloque mais azeite e polpa ou mais farinha de rosca para atingir – todos os ingredientes são a gosto e dependem, use sua intuição (você tem uma, e precisa acreditar mais nisso). Recheie os tomates generosamente e leve para assar por uns 15 minutos, até dourar. Finalize com alguma erva fresca cheirosa. Bon appétit!

Quiche de abóbora com gorgonzola!

Mais uma opção de quiche – a rainha francesa elegante e simples que quem aprende, ama e faz muitas vezes nessa vida. Essa versão junta abóbora, gorgonzola e mel – uma combinação maravilhosa. Abaixo te conto as 2 opções de massa que você tem, te conto o recheio base e como construir essa versão!

Para a massa da quiche, você tem 2 opções:

Massa tradicional:

Ingredientes:

  • 90g de manteiga amolecida
  • 1 colher de chá de açúcar
  • 1 colher de café de sal
  • 1 xícara e meia de farinha de trigo
  • 2 gemas pequenas ou 1 grande
  • Água gelada (só caso a massa fique seca).

Modo de preparo:

Misture/bata a manteiga com o açúcar e sal, com uma colher de pau, até esbranquiçar. Acrescente a farinha, as gemas e misture – sem amassar muito, só pra unir tudo. É uma massa quebradiça mas que vc tem que conseguir fazer uma bola com ela. Se estiver muito esfarinhada coloque água gelada pra chegar nesse ponto. Embrulhe num papel filme e deixe na geladeira por uns 15 minutos. Depois abra em uma fôrma essa massa até forrar toda ela e cobrir uns 2 dedos as laterais (ajeite com os dedos mesmo, é legal).

Massa de grão-de-bico:

Ingredientes:

  • Cerca de 400g de grão-de-bico cozido (se usar aqueles em lata, use 2 inteiras)
  • Azeite de oliva extra virgem à gosto
  • Sal à gosto

Modo de preparo:

Bata o grão-de-bico cozido em um processador ou liquidificador e vá acrescentando o azeite e um pouco de sal. Vá mexendo com uma colher em pausas para ajudar a bater tudo por igual. Tem que ficar uma massa consistente, mas durinha.

Use uma forma antiaderente ou unte uma com manteiga e farinha. Coloque a massa na fôrma, forrando toda ela e uma boa parte das laterais.

Recheio:

O Recheio básico da quiche consiste em: 4 ovos mais 2 gemas batidas (com fouet) com 250g de creme de leite, sal e pimenta à gosto. Essa parte liquida é a base, aí você incrementa e dá o sabor que quiser para sua quiche. Para essa versão, faça assim: na massa disposta na fôrma coloque cerca de 300g de abóbora cabotiá sem casca, cozida e meio esmagada (não totalmente, não queremos um purê, mantenha uns pedaços),  junte cerca de 150g de queijo gorgonzola (se não gostar, pode substituir por outro, os cremosos (tipo cream cheese) ficam muito bons também – nessa usei um queijo cremoso de gorgonzola. Acrescente fios de mel, à gosto, e daí distribua a massa liquida de ovos e finalize com queijo parmesão ralado por cima. Leve para assar no forno pré-aquecido à 180 graus por 30-40 minutos – até dourar levemente. Pronto! Bon appétit!

Quiche de cogumelo e queijo!

A fatídica quiche de cogumelo e queijo de hoje (encontrei shimeji rosa no mercado, uma espécie de cogumelo conhecida como Pink oyster mushroom – adoro comprar coisas no mercado que acho bonitas e não tenho a menor ideia do que são e como preparar, aí quando chego em casa, é sempre uma aventura para descobrir. Quando tenho um ingrediente que não sei o que fazer com ele, muitas vezes vira quiche – essa dama francesa atemporal que sempre é uma opção conveniente e carinhosa. Se liga em como ela é acessível e gracinha de fazer:

Ingredientes (massa):

  • 90g de manteiga amolecida
  • 1 colher de chá de açúcar
  • 1 colher de café de sal
  • 1 xícara e meia de farinha de trigo
  • 2 gemas pequenas ou 1 grande
  • Água gelada (só caso a massa fique seca).

Modo de preparo da massa:

Misture/bata a manteiga com o açúcar e sal, com uma colher de pau, até esbranquiçar. Acrescente a farinha, as gemas e misture – sem amassar muito, só pra unir tudo. É uma massa quebradiça mas que vc tem que conseguir fazer uma bola com ela. Se estiver muito esfarinhada coloque água gelada pra chegar nesse ponto. Embrulhe num papel filme e deixe na geladeira por uns 15 minutos. Depois abra em uma fôrma essa massa até forrar toda ela e cobrir uns 2 dedos as laterais (ajeite com os dedos mesmo, é legal).

Recheio:

O Recheio básico da quiche consiste em: 4 ovos mais 2 gemas batidas (com fouet) com 250g de creme de leite, sal e pimenta. Essa parte liquida é a base, aí você incrementa e dá o sabor que quiser para sua quiche. Eu fiz assim: na massa disposta na fôrma coloquei 200g de cogumelos grelhados na manteiga, pimenta e sal, cubos de queijo minas padrão à gosto, daí distribui a massa liquida de ovos e finalizei com queijo parmesão ralado por cima. Levei para assar no forno pré-aquecido à 180 graus por 30-40 minutos – até dourar levemente. Pronto! Bon appétit!

Clafoutis salgado de tomate e queijo!

Clafoutis de queijos e tomate – ontem falamos sobre a versão doce desse preparo francês aconchegante (comida de casa de vó francesa), e hoje a gente aprende a versão salgada – onde troca-se a fruta por tomates e o açúcar por queijo e voilà. Desses preparos simples e charmosos, que a gente ama. Olha como faço:

Ingredientes:

  • 4 ovos
  • 2 colheres de sopa de farinha de trigo
  • 50g de farinha de amêndoas ou amêndoas moídas (pode ser nozes ou avelãs também)
  • 1 pitada de sal
  • 100g de creme de leite
  • 100ml de leite
  • 100g de tomate-cereja
  • Entre 100g e 200g de queijos – quais quiser, sugiro queijos mais intensos.

Modo de preparo:

Bata os ovos em um recipiente, até esbranquiçar um pouco. Acrescente as amêndoas, a pitada de sal e a farinha de trigo. Misture e então acrescente o leite e creme de leite, também incorpore bem. Reserve. Unte uma fôrma com manteiga e farinha, espalhe sobre ela os tomates e então despeje a massa de ovos. Então espalhe o queijo pela massa, de modo que toda ela tenha queijo distribuido. Nesse coloquei apenas um queijo tipo gorgonzola fundido, espalhando colheradas dele pela massa, mas você pode combinar queijos de sua escolha (gorgonzola e parmesão, gruyère e parmesão, muçarela e parmesão, etc). Leve para assar em forno pré aquecido à 180 graus por 30-40 minutos – até dourar e a massa ficar firme. Sirva quente ou frio. Bon appétit!