Onde comer em Londres – Uma autêntica experiência londrina em 4 atos gastronômicos.

Como sempre digo: Quando viajar, “coma o lugar”. A comida é sempre uma forte marca cultural que conta muita coisa de onde você está. O gosto de algo marca uma cena, e a memória que o gosto deixa é eterna. E ao contrário do que muitos pensam, Londres tem uma gastronomia forte e interessante, cheia de influências. Quero compartilhar com vocês uma verdadeira experiência gastronômica londrina em 4 atos – Não apenas 4 locais para comer, mas 4 momentos e maneiras de comer que te farão tocar Londres intensamente. Começando por um café da manhã inglês forte e curioso, passando por um almoço simples ao ar livre em um dos parques lindos da cidade, seguindo por um tradicional chá da tarde inglês e finalizando com um prato típico e marcante no jantar. Vem ver o que tem de bom na incrível cidade da Beth, que é muito mais que fish and chips!

 

  • Primeiro ato: O grandioso e farto café da manhã inglês na Patisserie Valerie.

Really English Breakfeast.

Esse lugar é famoso pelos seus lindos bolos (o item mais apreciado da confeitaria inglesa), porém lá você consegue fazer qualquer refeição. Eles tem um cardápio super amplo a preços acessíveis, e tomar seu café da manhã lá te trará uma experiência extremamente inglesa para começar o dia – Peça o English Breakfeast – vem com ovos pochés, tomates assados, feijão, linguiça, presunto, cogumelos, manteiga e torradas – (um prato serve 2). É uma delícia, alimenta você bastante e permite que depois você faça um almoço mais leve no parque (que é o segundo ato). Enquanto come sinta o contraste desse café da manhã com aquilo que você está acostumado na sua cultura, sinta a diferença e pense no quanto ela é interessante, no quanto o mundo é grande e diverso…

Há diversas unidades na cidade, clique aqui e veja o site da Patisserie Valerie para mais informações. 

 

  • Segundo ato: Comprar um “Meal Deal” (refeição pronta) em uma das unidades da rede Tesco ou da Pret A Manger.

Vista no lindo Primrose Hill.

Na hora do almoço uma das coisas mais comuns em Londres é ver os parques e alguns outros locais públicos cheios de pessoas com seus “meal deals” almoçando ao ar livre. Isso é muito londrino. O meal deal é uma refeição completa vendida em muitos lugares (mercados, lanchonetes e até farmácias), é composto de um prato principal, um snack e uma bebida por um preço fixo (normalmente £3). Comprar sua comida e ir comer no parque te faz experimentar uma comum atmosfera da cidade, muita gente lá faz isso. Você pode comprar sua refeição na famosa rede Tesco (uma loja que tem de tudo) ou na Pret A Manger (gosto mais dessa, ela só trabalha com produtos frescos e suas refeições são feitas artesanalmente, custa um pouco mais mas acho que compensa). Depois é só escolher um dos parques lindos da cidade e fazer sua refeição – meu preferido é o Primrose Hill – Onde você consegue ter uma das melhores vistas de Londres. Também adoro o St James Park e o Hyde Park. Amoce na grama, olhe em volta, sinta-se tocando um hábito cultural de onde você está.

Uma salada fresquinha do meu meal deal.

Clique aqui para ver as unidades do Tesco ou aqui para ver unidades do Pret A Manger . 

 

  • Terceiro ato: O tradicional chá da tarde inglês, novamente no Patisserie Valerie.

Os famosos bolos da Patisserie Valerie.

Não faz muito sentido ir à Inglaterra e não tomar um chá. O tradicional chá da tarde é uma refeição muito famosa na cidade, e todo mundo quer provar – por isso os preços são altos – existem locais que oferecem a famosa refeição por preços absurdos (em combos que vem até champagne) e locais mais simples. Normalmente oferecem a refeição em um combo, um valor que vem o chá e diversas especialidades, docinhos, sanduichinhos, etc. Para seu tradicional chá da tarde inglês indico novamente a Patisserie Valerie, o preço é um dos melhores e as coisas são gostosas, considero que vale a pena para provar o tradicional chá sem pesar muito no bolso!

Clique aqui e veja mais informações sobre a Patisserie Valerie.

 

  • Quarto ato: Jantar um prato completamente inglês no agradável Garfunkel’s Restaurant.

Proper pie.

Um das coisas mais gostosas que comi em Londres foi a famosa “Proper pie” – um bolo de carne  – algo que está mais para uma torta de carne. É vendida em muitos lugares (inclusive você pode encontrar ela em um dos famosos pubs da cidade), mas a que mais gostei foi uma que comi em um restaurante da rede Garfunkel’s – o recheio era extremamente suculento e marcante. Normalmente ela é servida com um purê de batatas e legumes. No Garfunkel’s tem um Fish and Chips (o famoso peixe frito com batatas fritas) bem gostoso também, mas essa torta é maravilhosa e você precisa provar, sério. Esse prato é aconchegante e da a sensação de uma comida inglesa caseira, de mãe. Sinta esse aconchego, é bom.

O Garfunkel’s tem diversas unidades espalhadas pela cidade, clique aqui e veja mais informações. 

 

Essas experiências gastronômicas são uma forma de ir além do comum e entrar em contato com a cultura do local de diversos jeitos. Mas ela precisa ser feita com sensibilidade  – coma os pratos, olhe em volta, observe as pessoas, sinta toda a atmosfera enquanto o gosto da comida acontece. A experiência será plena. Isso é emocionante. Londres é linda e tem um gosto muito bom! Aproveite!

Anúncios

Onde comer em Toronto (Canadá) – 4 lugares imperdíveis para você visitar e conhecer a típica gastronomia dessa cidade incrível!

“Comer o lugar” é sempre muito importante – a marca que o gosto deixa é eterna. Através do sabor da comida de um local você navega por traços culturais diversos que compõe aquele espaço. Toronto é uma cidade cheia de possibilidades gastronômicas incríveis, separei 4 das minhas prediletas para compartilhar com vocês! Olhem elas:

1) Eggsmart – O autêntico brunch canadense!

img-20140403-wa0012

Brunch: Breakfast + Lunch  – Refeição de origem britânica muito comum na América do Norte, que é café da manhã e almoço em uma refeição só, muito comum de acontecer em domingos e feriados (que é quando se acorda mais tarde).  A comida típica de um local traz o gosto autêntico de sua história e costumes – Sempre “Coma” um lugar! O café da manhã canadense é uma marca intensa do país. Pesado, intenso, mas delicioso. Comi as 9:00 e só senti fome as 15:00, e não era nada que se diga nossa, como ele está com fome. Meu Deus! E o melhor lugar para experimentar um café típico do Canadá é a Eggsmart – uma rede muito legal com diversas opções e combinações de refeições, vai lá amar gente! Tem unidades espalhadas por Toronto!

Onde: Existem várias unidades espalhadas por Toronto. Confira no site deles!

Clique aqui e acesso o site do Eggsmart e veja todas informações.

E se quiser fazer em casa as pancakes tradicionais do Brunch canadense, clica aqui e veja receita. 

 

2) Wanda’s Pie In The Sky – As melhores tortas de Toronto! 

img-20140408-wa0003

O Kensington Market é um bairro maior gracinha de Toronto! Lá você encontra ingredientes frescos e de excelente qualidade! Tem de tudo lá! Brasileiros com saudade de comidinhas da terra tropical podem achar um monte de produtos made in Brazil lá – como paçoca, guaraná e pão de queijo! O bairro também é conhecido por ter um mundarel de brechós – que tem muito coisa boa e legal gente! Agora o melhor desse bairro pra mim são as apaixonantes tortas da Wanda’s Pie In The Sky! Misericórdia, é muito bom! Caso de amor-real-eterno com essas delícias! Vale muitíssimo a pena dar uma parada lá e provar! Meu amor maior do cardápio deles é a de banana (essa da foto)! Aí meu coração. É um dos melhores lugares para provar as tão famosas tortas canadenses.

Onde: 287 Augusta Avenue, Toronto, ON M5T 2M2 (416-236-7585).

Clique aqui e acesse o site do Wanda’s Pie In the Sky e veja todas informações!

Se você não está em Toronto e quer comer uma tradicional torta norte-americana, clique aqui e veja minha emocionante receita de cheesecake! 

 

3) Soma Chocolatemaker – O melhor chocolate quente do mundo está em Toronto! 

Um chocolate quente deixa qualquer inverno mágico. Na verdade que só no inverno o que! Em qualquer momento um chocolate quente bem feito, com ingredientes bons e bem usados, proporcionam experiências tão boas que quase nos fazem voltar a acreditar em fadas. Mas no inverno de fato isso fica bem melhor. Quem visitar Toronto não pode deixar de experimentar o Hot Chocolate da Soma Chocolatemaker! Encantador! Eles tem uma opção que é o Hot Chocolate Spicy – Um chocolate quente com especiarias picantes, incrível! Nunca provei um tão harmônico!

A unidade que visitei do Soma Chocolatemaker fica num lugar lindíssimo, numa área histórica de Toronto chamada  Distillery District, um lugar fofo com restaurantes, galerias de arte, local muito frequentado por artistas. Vale apena o passeio por lá! Ainda contando que indo lá você encontra a delícia do Hot Chocolate da Soma, vale mais a pena ainda! Eles tem diversos produtos derivados de chocolate por lá, e lá mesmo fabricam o que vendem, podemos ver por um vidro alguns passos da produção, é bem legal! os preços não são os mais em conta mas não são absurdos, com $5 dólares você toma o famoso Hot Chocolate. Visite e seja feliz!

Onde: 32 Tank House Lane, Toronto, Ontario, Canada, M5A3C4

Clique aqui e acesse o site da Soma Chocolatemaker e veja todas informações!

 

4) 360 Restaurant – Alta gastronomia no topo da CN Tower!

IMG-20140215-WA0024

Uma das mais incríveis experiências gastronômicas da minha vida foi almoçar no 360 Restaurant –  um restaurante de Toronto que fica no alto da famosa CN Tower. Ele tem esse nome porque é um restaurante giratório que da uma volta de 360º no período de 1 hora. O restaurante é lindo, a comida é sensacional e a vista que você tem de toda a Grande Toronto de lá de cima é um espetáculo, sem contar a sensação gostosa de ir girando (numa velocidade muito tranquila que quase não se sente) e vendo a paisagem mudar, podendo ver Toronto de todos os ângulos e a mais de 350 metros de altura! Quem visita Toronto normalmente já visita a CN Tower, então super vale a pena conhecer o restaurante!

Algo bacana é que se você faz uma refeição no restaurante (uma refeição completa com entrada, prato principal e sobremesa fica em torno de 55 dólares – é o preço fixo para um menu completo) você não paga ingresso para acessar a CN Tower (que custa cerca de 30 dólares), acaba que super compensa em questão de valores, pois você gasta cerca de 30 dólares a mais e tem a experiência incrível de comer no 360 Restaurant!

O restaurante é elegante, muito bem servido e o menu é incrível! Quando fui, comi de entrada um foie gras servido com uma geleia de frutas vermelhas e torradas (adorei o sabor, só não gostei muito da consistência que estava meu foie gras), de prato principal escolhi o Pan Seared Atlantic Salmon & PEI Mussels – Um salmão servido com mexilhões acompanhados de um molho muito bom! Prato divino! E de sobremesa pedi a famosinha do restaurante: Dark Chocolate Tower – Uma torre feita de uma espécie de creme de chocolate e baunilha, servida com frutas azedinhas e um molho de vinho do porto, é maravilhosa também!

O restaurante é impecável e vale super a pena! E após almoçar no restaurante você pode aproveitar as outras atrações da CN Tower (andar no chão de vidro e ter a sensação de estar voando e apreciar a paisagem de Toronto no outro salão da Torre). Esse almoço e tudo que está em volta dele é uma das mais lindas lembranças que guardarei de Toronto, muito especial e diferente, marca e vale a pena!

20140215_112413

Onde: 301 Front St. West (&John St.), fica do lado do Ripley’s Aquarium of Canada.

Clique aqui e acesse o site do 360 Restaurante e veja todas informações!

 

Enfim, espero que tenham sentido o quanto essa cidade é diversa e incrível! Esses 4 lugares são só uma amostra, ela tem uma gastronomia rica, aconchegante e cheia de graça! Um charme a parte! Desfrute!

IMG-20140406-WA0036

A pimenta em Toronto – Sobre os hábitos alimentares da cidade.

20140402_195402

Dundas Square – A esquina mais movimentada de Toronto.

Encontrando mais uma vez, na comida de rua, a pimenta de Toronto. Hot Dog, Dundas Square, luzes, muita gente, de vez em quando um herói da Marvel, agitação, esquina que da para encontrar o mundo – A pimenta quase constante dessa cidade combina com o movimento quase constante dessa esquina – que não para e insiste, que nem o ardor da pimenta. Mas enfim, pimenta pra mim é amor intenso, ardente e sensual, mas para alguns pode ser terror total (mas que gracinha de rima, né?), então quem viaja para Toronto e não está acostumado com os hábitos alimentares da cidade, deve tomar alguns cuidados!

Canadenses apimentam quase tudo, e o nível é hard! Pimenta-do-reino nem é considerada “ardida”, é acrescida em muitos pratos que não são considerados apimentados, estando presente inclusive no McChicken de lá, eles a consideram um condimento suave, a usam em uma quantidade grande que promove um bom nível de ardor, mesmo assim não consideram ela capaz de fazer arder – mas que coisa, não?

Andando pela cidade você já nota o gosto local por comida “hot”, tem muitos restaurantes indianos e mexicanos, pimenta brilha muito lá! Talvez a sensação térmica que eles experimentam na cidade a maior parte do ano, onde as temperaturas bem negativas predominam, ajude na construção cultural desse apreço todo por pimenta.

Eu adoro pimenta em tudo e não ligo nem um pouco, mas quem tem intolerância ou sensibilidade deve ficar atento, e questionar que condimentos vão em um prato antes de pedir ele, pois se não pode ter uma surpresa, como vi muita gente que não é da cidade ter. E não adianta perguntar apenas se o prato é “spicy”, pois o que é apimentado para eles talvez não seja para você, seja mais especifico e pergunte dos condimentos que podem arder, como pimenta calabresa e pimenta-do-reino.

Des Deux Moulins – O Café da Amélie Poulain e um passeio por Montmartre (Paris).

20140503_155937

Fachada do Des Deux Moulins

A dica desse endereço em Paris é especialmente para quem adora o filme O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (Le Fabuleux Destin d’Amélie Poulain), pois trata-se justamente do café em que Amélie trabalha no filme:  Des Deux Moulins (Sim, ele existe!). Para quem se encantou com a poesia desse filme (que ficou bem famoso mundo a fora) é uma experiência que agita o coração entrar no lugar e conseguir identificar todo o cenário daquela história carregada de poesia e detalhes “doces”. Eu adoro o filme e toda a “poesia do simples” que ele evoca, e estar lá foi sensacional. É um lugar indispensável de visitar para aqueles que sabem “que até mesmo as alcachofras tem coração…”

O Café fica bem perto de dois moinhos: O Famoso Moulin Rouge e o Moulin de la Galette, daí o nome: Des Deux Moulins (Os dois moinhos). É um lugar na maioria das vezes cheio, pois é bem famoso e muitos turistas de todo canto se espremem nas pequenas mesas do café. Mas o lugar, além de todo o encanto que traz do filme, é agradável e fofo, os garçons são gentis (e lindos, diga-se de passagem, hahaha), fui atendido por um que falava português (sorrindo), o que facilitou o pedido.

Interior do Café, onde se pode ver Amélie sorrindo ali atrás...

Interior do Café.

Há objetos usados no filme que ficam expostos no café. Quanto ao cardápio, eu fui direto em um “combo” que é um café (ou um chocolate quente) que acompanha o famoso Crème Brûlée, pois eu jamais poderia perder a experiência de quebrar a casquinha dessa linda e simbólica sobremesa e sentir a felicidade discreta que tal ato produz. E isso tudo custou cerca de 8 euros (o preço lá não é muito barato, mas com 8 euros você já sente a magia da Amélie, e tá bom).

20140503_161953

Não comi outras coisas, mas dizem que há lugares melhores ali por perto mesmo em Montmartre, onde se pode experimentar melhores e tradicionais pratos franceses. Mas o que me interessava lá era Amélie, a magia conectada à essa obra e o Crème Brûlée, e foi isso que fiz, e saí bem feliz!

Endereço: 15 Rue Lepic, 75018 Paris, França

Dicas: Aproveite para visitar outros endereços ilustres que também ficam em Montmartre, nas redondezas do café da Amélie: A Basílica de Sacré Coeur (também cenário do filme), O Moulin Rouge, ver a fachada da casa onde morou o pintor Vicent Van Gogh, a Place Du Tertre com seus artistas pintando a céu aberto e restaurantes fofos ao redor, e lá também é um ótimo endereço para comprar aqueles famosos pôsteres da Belle Époque de Paris! Olhem só:

20140503_153748

A Place Du Tertre – Com seus charmosos restaurantes e artistas pintando à céu aberto.

20140503_144349

A incrível Basílica de Sacré Coeur, também bastante presente nos cenários do filme.

20140503_170433-1

o Simbólico Moulin Rouge! Fica bem pertinho do Café.

20140503_155222

A fachada da casa onde morou o famoso artista Vincent Van Gogh

20140503_151738

Uma charmosa rua perto da Basílica de Sacré Coeur, onde se pode encontrar os famosos posteres da Belle Époque e uma série de artigos para lembrancinhas.

Piquenique gelado no Bluffer’s Park, Toronto.

20140311_154021

O encontro entre algo de comer e um lugar. Toda vez que eu comer de novo folhado de chocolate eu vou lembrar que o mundo pode ser surpreendente e que o vazio e silêncio dizem bastante coisa quando estamos dispostos a ouvir. Tudo aquilo que uma refeição pode gravar em nossa vida é algo sensacional, é por isso que acredito que o ato de alimentar-se ou preparar alimentos tem algo de “Divã”. Texto sobre um piquenique, praia congelada, amor, folhado de chocolate, nozes, punch de 99 centavos e pássaros dançando. Algo de poesia bem bonita, que agora tem o gosto de folhado de chocolate. Porque o gosto de alguma coisa às vezes é o gosto sensacional da própria vida.

Em meados de fevereiro Toronto é gelo puro. Existem alguns parques mais próximos do centro de Toronto que mesmo no frio você encontra bastante gente (como o High Park). Já o Bluffer’s Park é mais distante do centro, o que o faz bem vazio no inverno.  Fazer um piquenique gelado lá, em pleno rigoroso inverno canadense, foi uma das experiências mais sensacionais que já tive – porque piquenique não tem só a ver com dia de sol e verde intenso.

20140311_153339

 O Bluffer’s Park é uma mistura de parque, marina, praia, e um monte de penhascos rochosos (que são chamados de Bluffers). No inverno ele soa como um pedaço esquecido de alguma coisa. Acho que por isso que foi tão significativo. Lugares que parecem pedaços esquecidos tendem a nos fazer lembrar de pedaços nossos fundamentais, mais ou menos esquecidos. Todo mundo que vai para Toronto no inverno devia fazer um piquenique lá. Todo mundo devia lembrar dos seus pedaços fundamentais quase esquecidos.

Esse post é mais sobre amor. O Bluffer’s Park naquele dia foi amor, foi contato autêntico. Um dia inteligente e cheio de possibilidades, onde deu pra entender algo sobre “Anything could happen”. E tudo teve gosto de algo.

20140311_153105

O Bluffer’s Park fica em Scarborough, distrito da Grande Toronto. Não paga nada para acessar. Não é um local muito famoso. Fica mais cheio no verão (há churrasqueiras públicas e muitas famílias as usam em dias mais quentes). É um lugar lindíssimo de se visitar também no outono canadense. O melhor jeito de chegar lá é de carro, porém você pode ir de TTC (como é chamado o transporte público de Toronto). Para essa opção você deve pegar o metro até chegar na Kennedy Station (Linha 2 Verde), e dentro dessa estação pegar o ônibus 12A (Linha 12A em direção a West – 12A Kingston Rd Towards Victoria Park Station Via Brimley and Variety Village). Você deve descer no cruzamento da Kingston Rd com a Brimley Rd, e de lá ir andando até o parque (é uma caminhada boa, mas vale a pena!). O Google maps faz certinho esse trajeto por transporte público.

IMG-20140311-WA0037

20140311_162244