Gratidão de todas as sextas. Cozinhando as 94 receitas do livro “Todas as sextas”, de Paola Carosella. Receita 19/94: Doce de leite. Receita 20/94: A minha infância feliz. 

Sexta-feira, dia do projeto “Gratidão de todas as sextas” – Cozinhar todas as 94 receitas do livro “Todas as sextas”, de @paolacarosella (Esse projeto tem um porque, clique aqui e leia o post que publiquei dia 11/11/16, explico lá tudo com todo meu coração). Receita 19/94: Doce de leite. Receita 20/94: A minha infância feliz. Ave Maria! Como doce de leite é bom, esse é bom pra caramba, demais da conta, à beça! Bom também foi ficar em volta da cozinha durante as 6 horas de cozimento lento e generoso do leite das santas vacas. Eu queria mesmo ficar ali, em volta da cozinha esse tempo todo. Em algum momento fiz algo errado (que ainda não entendi direito o que) e o leite subiu derramando um pouco. Uma sujeira. Foi muito divertido. Eu e meu irmão (que acompanhou o cozimento comigo) rimos muito de tudo em volta da situação. E a minha infância feliz? Uma sobremesa emocionante, que enche a gente de contrastes perfeitos – o iogurte com doce de leite, de chorar, peloamordedeus! Ela também me encheu de contato com outras horas, daquelas de tempos antigos, onde brincar de inventar o que comer preenchia tardes vazias. Um menino abria a geladeira e pensava. Com poucas coisas mas com muita criatividade e entusiasmo fazia o prato mais lindo da vida, ele achava. O nome dessa receita é perfeita – me traz mesmo a lembrança do meu caminho pra ser feliz quando eu era pequeno. Quantas lembranças hoje. A vida da gente tem muitos gostos. Hoje  eu só queria agradecer, por todos eles.

2 comentários sobre “Gratidão de todas as sextas. Cozinhando as 94 receitas do livro “Todas as sextas”, de Paola Carosella. Receita 19/94: Doce de leite. Receita 20/94: A minha infância feliz. 

  1. Aprendi a cozinhar observando minha mãe, que não era uma cozinheira de “mão cheia” como Paola ou Julia, mas trazia nos pratos simples e básicos que preparava, o amor por mim e por meus irmãos. Era o afeto e o cuidado em forma de alimento.
    Julia Child me cativou, assim como Paola Carosella, pelos mesmos motivos: a descoberta de seu dom, seu amor e entrega no núcleo de tudo o que faz e…
    …a simplicidade de ser.
    Encontrei esta sua página, procurando no Google por “Paola Carosella”.
    Li “Todas as Sextas” e amei a maneira como ela nos conta a sua história e estava à procura de mais.
    Sim, sempre procuramos histórias inspiradoras para nos orientar… a dela é, com certeza, uma dessas histórias.

    Obrigada, Rodrigo, por nos presentear com seu blog, por compartilhar conosco os sabores da vida.

    Ana Maria

    Curtido por 1 pessoa

    • Ana, querida! Seu comentário é um presente, obrigado por compartilhar sua sensação com o blog, isso é muito significativo pra mim! Eu que te agradeço, mesmo! Julia e Paola tocam marcas profundas em mim, e é sempre transformador chegar bem perto do trabalho delas. Adorei seu relato do seu contato afetivo com sua mãe através da comida dela – quando alguém cozinha e nos entrega comida entrega muita coisa junto, né? Um abraço grande com carinho!

      Curtir

Deixe uma resposta para Ana Maria Nasc Campos Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s