Bruschetta de brie com cebola caramelizada e mostarda.

Bruschetta onde se junta: queijo brie, cebola caramelizada e mostarda – dessas coisas que parecem que nasceram para estar sempre juntas.

Para caramelizar cebola facinho:

Na frigideira coloque 1 colher de sopa de manteiga e junte 1 cebola pequena cortada em rodelas finas. Vá mexendo e deixe ela cozinhar uns 4 minutos no fogo baixíssimo. Coloque uma pitada de sal e uma colher de sobremesa de açúcar, mexa e cozinhe 1 minuto e então coloque uma colher de sobremesa de molho shoyu. Cozinhe até que engrosse e a cebola esteja macia. Minutos antes de desligar repare no ponto da cebola caramelizando, borbulhando – poucas coisas são tão lindas e perfumadas quanto essa cena – guarde ela pra sempre em você. E ah, ajuste as quantidades conforme sua intuição te disser que precisa (sim, você tem uma intuição e precisa usar mais isso, na cozinha e na vida).

Para montar a bruschetta:

É só colocar sobre fatias de pão pedaços de queijo brie, a cebola caramelizada com seu caldinho e mostarda. Leve ao forno à 200 graus por uns 6/8 minutos (só pra tudo se encontrar mais calorosamente sobre o pão). Pronto.

Sobre a mostarda: Para essa receita mostardas amarelas muito liquidas não servem. Mostarda de Dijon, mostarda em grãos ou escuras são as que servem. Nem sempre podemos improvisar tudo, há emoções que precisam de coisas específicas para acontecer certo. Mas caso não tenha, faça sem. Só o brie e a cebola já emocionam bastante.

Tapioca de cuscuz – e a simplicidade mágica de um café da manhã.

Às vezes, pra um dia começar em paz, a gente só precisa de cuscuz, tapioca, queijo, café e se propor. Desde sempre, cafés da manhã pra mim são oportunidades de sentir, através do simples, a vida mais leve (talvez um recurso que uso pra que ela, a vida, não escorregue das minhas mãos na complexidade cotidiana). Qual seu recurso simples de paz? Qual sua sustância emocional matinal para dar conta? Os cafés da manhã são simbólicos.

Como fazer:

Para fazer essa tapioca de cuscuz eu só misturei cuscuz pronto (veja abaixo como faço um em 3 minutos no microondas) com goma de tapioca. Aí coloco na frigideira, jogo por cima um pouco de algum queijo ralado e deixo o calor fazer seu trabalho. Não precisa virar (como nenhuma tapioca precisa). Uma casquinha crocante com gostinho de milho tostado fica por baixo e as outras camadas macias. É um sopro de vida. Hoje resolvi colocar também queijo fresco por cima, mas nem precisa.

Cuscuz de 3 minutos:

para 1 porção, coloque um pouco mais de meia xícara de chá de flocão (farinha de milho flocada, aquela pra cuscuz) em um recipiente que possa ir ao microondas. Coloque pitadas de sal e um pouco de água para hidratar e mexa com um garfo (quantidades, na intuição. Você precisa de uma farofa úmida, mas sem ficar encharcada). Leve ao microondas por 2 minutos. Tire e solte a mistura com um garfo. Coloque mais um pouco de água e acrescente, à gosto, manteiga de garrafa ou outra, misture. Acerte o sal. Pronto.

Bolo de fubá com laranja

Como fazer bolo de fubá com laranja, compreendendo a sutileza de um dia sozinho em casa.

Ingredientes:

  • Olhar calmo e sensível para as coisas
  • 4 ovos
  • 1 xícara de chá de suco de laranja
  • 1 xícara de chá de óleo
  • 2 xícaras de chá de açúcar
  • 1 xícara de chá de fubá
  • 1 e ½ xícara de chá de farinha de trigo
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 1 xícara de chá de açúcar cristal para polvilhar a forma
  • 1 colher de sopa de canela em pó para polvilhar a forma
  • Alguma música, dessas que fazem a gente esquecer o medo
    Manteiga para untar

Modo de preparo:

Bata no liquidificador os 4 ovos, o suco de laranja, o açúcar e o óleo. Durante o barulho do liquidificador, imagine uma música daquelas que quando toca você sempre canta junto, então cante, e quando desligar o liquidificador, coloque ela pra tocar. Daí, na batedeira ou num bowl (pra bater na mão com um fouet) coloque o fubá, a farinha de trigo e despeje a mistura do liquidificador, bata bem. Quando terminar de bater repare na massa – ela não é linda? Unte uma forma com manteiga. Misture o açúcar cristal com a canela e polvilhe toda a forma untada. Coloque o fermento na massa e bata mais um pouco, com gentileza (é bom quando tratamos massas e pessoas com gentileza – o crescimento, das massas e das pessoas, tem a ver com a gentileza que recebem). Despeje a massa na forma e leve ao forno pré aquecido a 200ºC para assar por 45/50 minutos. Enquanto o bolo assa, sente no tapete do chão da sua sala com algum livro que te faça bem, ou com alguma outra coisa qualquer que te faça bem. O livro Todas as sextas da @paolacarosella me faz muito bem. Quando o bolo assar sinta o cheiro, espete um garfo e veja se sai limpo. Tire do forno e olhe para ele, pensando que foi você que fez aquele cheiro, com suas mãos. Espere esfriar e desenforme. Corte uma fatia e volte com ela e uma xícara de café para o chão da sua sala, respire. Coma. Ainda está escutando a música? A essa altura, ela vem de dentro.

(Aprendi essa receita com o @rodrigohilbert , e sou muito grato à ele por isso).

Como fazer escargots com manteiga de ervas – e como se ampliar comendo algo que está fora das suas referências culturais.

Escargot, do francês, “caracol comestível”. Coma, algumas vezes, coisas que não fazem parte de suas referências culturais. É uma pena que a gente se encerre nos limites do nosso referencial e olhe pro diferente hora com medo, hora com desrespeito, hora com agressão. Chega perto do mundo que não é igual ao seu e construa descobertas, mais respeito, informação e ampliação pessoal autêntica – se aproximando e dando uma chance para aquilo que é contraste com você. Tanta coisa linda pra sentir e viver e a gente perdido em fobias. Descobre porque você tem medo, pede ajuda, e vai ver que mundo lindo e diverso, meu filho. Eu estou falando de provar escargot, mas também estou falando da vida.

O jeito mais fácil de encontrar escargots por aqui são os em conserva, por isso a receita é com eles. Escolha um de uma marca e origem confiável. Um dos melhores vem da Borgonha, na França, que são colhidos à mão por um povo que os respeita muito, e cria coisas emocionantes com eles.

Ingredientes (para 2 ou 3 pessoas, como entrada):

•Cerca de 15 escargots em conserva escorridos
• 1 taça de vinho branco
• 3 colheres de sopa de manteiga derretida
• 2 colheres de sopa de ervas picadas bem finamente (uso sempre salsinha e cebolinha)
• Sal e pimenta-do-reino preta à gosto
• Algum pão maravilhoso, para acompanhar

Modo de preparo:

Misture bem a manteiga derretida com 1 colher de sopa do vinho branco, as ervas, o sal e a pimenta. Depois de misturar leve pra gelar até ficar consistente. Escorra os escargots e deixe de molho no restante do vinho branco por 10 minutos. Então coloque 1 escargot em cada concha, e acrescente nelas, fechando até o topo, a manteiga de ervas. Arrume as conchas em uma assadeira com uma base de sal grosso (para ajudar a equilibrá-las). Se você não tiver conchas, é só dispor os escargots em um recipiente que possa ir ao forno, mas um pequeno para que não fiquem tão espaçados um do outro, e cubra todos eles com a pasta de manteiga. Então, com ou sem conchas, leve ao forno à 200 graus por 10 minutos. Pronto. Para comer, tira-se os escargots das conchas com garfinhos. Aproveita-se a manteiga que ainda fica nas conchas regando pedaços de pães. É diferente, mas é especial e bom, se você permitir.

Banana bread (Bolo americano de banana)

Banana bread. Um bolo de banana americano que dá um destino lindo para bananas muito maduras. Hoje, mesmo tendo acordado meio sem energia criativa para cozinhar (tem dias que nem o que a gente ama a gente quer fazer, e está tudo bem), a impossibilidade de ver 4 bananas estragar sem fazer algo a respeito me fez ir pra cozinha. No final, fez muito sentido. Era um dia de cozinhar para reparar algo, eu só não acordei notando isso. Não sei se eu salvei as bananas ou se elas me salvaram.

Ingredientes:

• 1/2 xícara de chá de açúcar
• 1/3 de xícara de chá de manteiga derretida
• 2 ovos
• 4 bananas bem maduras amassadas
• Canela em pó à gosto
• 1 e 3/4 de xícara de chá de farinha de trigo
• 1 colher de sopa de fermento em pó
• 150g de chocolate picado (uso amargo, mas pode ser qualquer um)

Modo de preparo:

Antes de tudo: Tenha 4 bananas bem maduras. Se não for assim não serve. Precisamos de bananas que foram trabalhadas pelo tempo. Se não tiver compre 4 bananas, espere uns dias, até ficar cheia de pontos pretinhos e aprenda sobre o tempo que as coisas levam pra ficarem prontas.

Em uma tigela misture o açúcar com a manteiga derretida. Bata e incorpore. Acrescente os ovos e bata também. Então coloque as bananas maduras amassadas e um pouco de canela, misture. Acrescente a farinha de trigo e a colher de sopa de fermento em pó, e misture com gentileza. Acrescente o chocolate picado e misture (os amargos fazem mais sentido pra mim, se não fizer pra você, tudo bem, pode ser ao leite). Coloque em uma fôrma untada e asse em forno pré-aquecido à 180 graus por 40 minutos. É um dos destinos mais lindos que bananas maduras podem ter.

Pão de queijo com 3 ingredientes para emoções simples – E com um truque para deixá-lo saudável e funcional.

Todo mundo precisa de uma receita simples de pão de queijo para ter a chance de sentir em qualquer hora a magia do pão de queijo saido do forno, feito pelas suas mãos, para ser apreciado em um momento singelo e apoteótico com café, e paz.

E esse, além de exigir apenas 3 ingredientes, tem um truque bem legal para ficar mais saudável e amigo da sua dieta.

Abaixo receita completa escrita, mas se quiser ver um video com todo o passo a passo detalhado, só clicar aqui para ver no IGTV do meu Instagram.

Ingredientes (para 8/10 pãozinhos):

• 1 xícara de chá de goma para tapioca
• 75g de cream cheese
• 40g de queijo parmesão ralado
• 1 colher de sobremesa de chia e outra de linhaça (esses 2 são opcionais, mas isso que irá deixar a receita mais funcional para seu organismo – a tapioca sozinha sem algo que transforme um pouco como nosso organismo vai absorver ela, pode ser uma cilada pra sua dieta.
• Se quiser, 1 pitada de sal.

Modo de preparo:

Misture todos os ingredientes até obter uma massa fácil de manusear (se todos os ingredientes estiverem gelados, a massa fica mais fácil de manusear e também os pãezinhos ficam mais altos ao assar, mas se não estiverem gelados dá certo igual, só muda um pouco o aspecto). Unte sua mão com azeite e faça bolinhas. Leve para assar em forno pré-aquecido à 200 graus por 25/30 minutos, até dourar. Prontinho!

Brioche French Toast (Rabanada)

Como fazer brioche french toast (rabanada diferente) – Uma poesia à base de manteiga que ajuda a gente a caramelizar tardes cinzas sofridas, nessa vida às vezes legal, às vezes esquisita


Numa tarde chata qualquer misture 1 ovo com 1 xícara de chá de leite, 2 colheres de sopa de açúcar e algum perfume de baunilha. Bata bem. Pegue uma fatia de brioche, fure com um garfo e encharque todinha nesse creme que fez. Com gentileza, leve a fatia encharcada para uma frigideira quente com manteiga e frite dos dois lados até dourar (uns 2 min de cada lado). Preste atenção no cheiro da manteiga fritando o brioche – se você não parou para prestar atenção nos cheiros e detalhes, você ainda não entendeu bem a receita – que é sobre a felicidade discreta, escondida na simplicidade do cotidiano, e na manteiga. Assim já fica pronto e suficientemente bom, mas se quiser mais emoção e tiver um maçarico, coloque uma camada de açúcar por cima e toste, sem timidez, até caramelizar bem – eu amo incendiar coisas, me anima muito (tem a ver com mapa astral e com Paola Carosella). Sirva com iogurte, frutas, sorvete ou nada. Aqui servi do meu jeito preferido, com coalhada.

Queime brioches para caramelizações intensas e lindas, não queime as tardes vazias. Não sempre, eu sei, mas às vezes a gente só precisa de 4 ou 5 ingredientes, e as coisas melhoram um pouco. Não é apenas sobre uma rabanada, mas sim sobre o quanto você se propõe. Abraços amanteigados. Essa receita agradeço à Paola Carosella e Julia Child (pessoas que sabem o poder que a cozinha tem em tardes cinzas).

Cookies de chocolate com banana!

Há um jeito mágico e profundo para um cookie realmente ter gostão gostoso de banana – e não é com banana fresca normal que se consegue isso. Vem cá ver como faz chocolate e banana serem lindos em forma de cookie. E ah, é fácil, barato e gracinha. Cookie é uma receita que eu faria todos os dias de minha vida – me dá um entusiasmo tão gostoso fazê-los, sabe – é uma receita que cobre a gente com leveza e aconchego… eita, como eu gosto.Abaixo receita completa, mas se quiser ver um video com o passo a passo detalhado, só clicar aqui para ver lá no IGTV do meu Instagram @rodrigo.vilasboas.

Ingredientes:

  • 100g de manteiga amolecida
  • Meia xícara de chá de açúcar mascavo
  • 1/4 de xícara de chá de açúcar refinado ou cristal
  • 1 ovo
  • 1 colher de chá de extrato de baunilha
  • 1 xícara de chá cheia mais 1/4 de xícara de chá de farinha de trigo
  • 1 colher de chá de fermento em pó
  • 1 pitada de sal
  • 100g de chocolate picado (eu uso amargo, 60%, mas pode ser o que quiser)
  • 150g de banana passa picada

Modo de preparo:

Junte a manteiga com os 2 açúcares e bata (na batedeira ou com um fouet) até ficar uma mistura mais clara e fofa. Acrescente o ovo e o extrato de baunilha, e bata mais para incorporar. Acrescente a pitada de sal, a farinha de trigo e o fermento em pó, misture (agora com uma colher). Quando estiver tudo incorporado, acrescente a banana e o chocolate e incorpore.A massa estando pronta, leve para a geladeira por 10 minutos (só para endurecer um pouco e ficar mais fácil de manusear). Então faça, com a ajuda de duas colheres, bolinhas, construindo formatos meio redondos (de cookies) e coloque em uma fôrma (untada ou antiaderente). Deixe espaço de uns 2,5/3cm entre um cookie e outro (eles crescem). Se quiser, coloque por cima, para ficar mais bonito e visível, mais pedacinhos de chocolate e banana.Então leve para assar em forno pré-aquecido à 180 graus por cerca de 10 minutos (até começar a dourar nas bordas, sem deixar dourar muito em cima). Quando você tira os cookies do forno eles ainda estão moles, o cozimento continua. Retire e deixe esfriar 10 minutos antes de desenformar. Pronto! Aproveite seus cookie e me conta lá no Instagram o que achou! E se fizer posta e me marca! Vou amar ver!

Como fazer Chilli Mexicano!

Vem fazer bailando um preparo antigo e tradicional da cozinha mexicana, que é feito à base de carne e feijão. Super simples e barato, serve para muitas ocasiões – desde petisco charmoso até prato principal. Vem ficar envolvido por toda verdade mexicana aprendendo isso aqui – se divertindo enquanto faz, claro (porque eu sinceramente não sei qual a graça de fazer um prato mexicano se não for com música latina, entusiasmo e emoção).

Abaixo receita, mas no meu Instagram @rodrigo.vilasboas tem um video com todo o passo a passo para não ter erro, e nele também tem toda essa animação e entusiasmo mexicano que estou falando! Clique aqui para ver!

Ingredientes:

  • 500g de carne moída (de preferência patinho ou acém)
  • 250g de feijão carioca
  • Meia cebola picada
  • 2 dentes de alho picados
  • Sal à gosto
  • Pimenta chilli (ou outra) à gosto
  • Canela em pó à gosto
  • Cominho em pó à gosto
  • Curry à gosto
  • 1 xícara de extrato de tomate
  • Caldo de meio limão
  • Queijo parmesão ralado para finalizar (opcional)

Modo de preparo:

Antes de começar coloca alguma música latina caliente, bebe um gole de tequila, rebola um pouco e entra em um ritmo babadeiro e entusiasmado, tudo dará mais certo assim, acredite.

Coloque o feijão em uma panela de pressão e cubra com água até ficar 3 dedos acima dos feijões. Cozinhe na pressão por 30 minutos ou até estar cozido totalmente. Em seguida, triture em um liquidificador ou em um processador cerca de 2/3 do feijão cozido, até virar uma pasta (coloque um pouco de água do cozimento para ajudar a triturar se precisar). Deixamos alguns feijões sem triturar porque fica gostoso uns inteiros no meio. Reserve a pasta e os feijões inteiros.

Em uma panela, coloque fios de azeite e coloque a cebola, 2 minutos depois coloque o alho. Refogue e então acrescente a carne, misture. Daí, acrescente todos os temperos, inclusive o sal (tudo à gosto, vá provando para checar, use intuição).

Quando a carne estiver toda cozida e em cor uniforme, coloque o extrato de tomate e misture. Deixe cozinhar uns 3 minutos e então acrescente a pasta de feijão e os feijões inteiros. Misture bem e acerte todos os temperos (agora que colocou o feijão precisa reequilibrar). Deixe cozinhar tudo junto por uns 5 minutos. Se ficar muito duro acrescente água, mas a ideia é que fique uma “pasta” mesmo. Acrescente o caldo de meio limão e misture. Pronto!

Na hora de servir, coloque por cima queijo parmesão ralado, indico aqueles menos secos, que não são desidratados, sabe?

Sirva com nachos, tortilhas, tacos, torradas, arroz, guacamole (que inclusive tem uma receita aqui, só clicar) ou com o que quiser. Seja feliz comendo e arriba!